Atiradores e homens-bomba atacam Hotel Intercontinental de Cabul

Helicópteros da Otan atiraram contra insurgentes no telhado do hotel popular entre estrangeiros no país; ao menos 16 morreram

iG São Paulo |

Um hotel popular entre estrangeiros na capital afegã, Cabul, foi atacado por militantes nesta terça-feira. Segundo uma fonte ouvida pela BBC, as forças de segurança trocaram tiros com seis homens armados que entraram no Hotel Intercontinental. Ao menos 16 morreram.

O chefe de investigações criminais da capital afegã, Mohamad Zahir, disse que os fundamentalistas invadiram o estabelecimento por volta das 22h locais (16h30 de Brasília). Hóspedes disseram à BBC que o cenário foi de caos e pânico, e que foram aconselhados a não abrir suas portas.

Segundo o chefe da polícia de Cabul, militares afegãos conseguiram entrar no hotel por volta das 3h30 locais de quarta-feira (20h de terça-feira em Brasília) e controlar a situação. Segundo a Associated Press, dois helicópteros da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) abriram fogo contra os atiradores no telhado do hotel e mataram três insurgentes. Os outros três seriam homens-bomba que detonaram seus explosivos no portão principal do hotel, no segundo andar e na parte de trás do estabelecimento.

Um hóspede disse à Associated Press que o ataque começou quando muitas pessoas jantavam. Ele disse ter pulado uma janela no primeiro andar para escapar dos atiradores. "Corri com minha família", disse o homem identificado como Jawid. "Houve disparos, e o restaurante estava cheio de hóspedes."

O Intercontinental, um dos hotéis mais conhecidos e prestigiados de Cabul, conta com um forte esquema de segurança. Foi inaugurado em 1969 e encontra-se em uma colina com vista para a cidade.

Um jornalista da AFP perto do local afirmou ter ouvido pelo menos uma explosão e intensos tiroteios. Ele afirmou que o hotel ficou às escuras após um aparente corte da energia elétrica na região. Um forte dispositivo policial foi mobilizado no local do ataque, que foi fechado ao tráfego, disse.

Segundo autoridades afegãs, um grupo de governadores do país se reunia no local no momento do ataque.

O porta voz da milícia islâmica do Taleban, Zabiullah Mujahid, reivindicou a autoria do ataque em telefonemas às agências de notícias.

Cabul estava estável em meses recentes, apesar de a violência ter aumentado em todo o país após a morte do líder da Al-Qaeda , Osama Bin Laden , no Paquistão em 2 de maio, e do início da "ofensiva da primavera" do Taleban. Em janeiro de 2008, militantes invadiram o hotel mais luxuoso da capital, o Serena, e deixaram oito mortos, incluindo um americano, um norueguês e uma filipina.

O ataque ocorre poucos dias depois de o presidente americano, Barack Obama, anunciar um plano para a retirada de militares dos EUA do Afeganistão . Dez mil soldados devem deixar o país asiático até o fim deste ano, e outros 23 mil deverão sair até setembro de 2012.

*Com BBC, AP, AFP e EFE

    Leia tudo sobre: afeganistãotalebancabulIntercontinental hotel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG