Atirador morre após ataque a Ministério da Defesa da Estônia

Segundo emissora estatal, não está claro se o atirador se suicidou ou foi morto durante operação policial para soltar um refém

iG São Paulo |

Um atirador morreu depois de manter uma pessoa como refém no Ministério da Defesa da Estônia em Tallin. A polícia chegou ao local depois de relatos de disparos ou "de pequenas explosões" às 15h30 locais (9h30 em Brasília).

Reuters
Policiais da Estônia são vistos do lado de fora de prédio do Ministério da Defesa
O prédio foi esvaziado e a polícia isolou a área. Não está claro se o atirador se suicidou ou foi morto durante a operação policial para soltar o refém, segundo a emissora estatal ERR. Nenhuma outra morte foi registrada.

A polícia recebeu uma ligação do ministério no meio da tarde informando sobre o ataque, indicou a porta-voz da polícia, Aleksandra Solntseva. "As pessoas foram retiradas do prédio" e o perímetro foi isolado pela polícia, informou.

Citando um ministro, a ERR afirmou que o atirador era um ex-soldado da Estônia, que detonou um pequeno dispositivo explosivo e fez um disparo antes de tomar um guarda de segurança como refém.

Há relatos de que vários empregados pularam de janelas para fugir do local, disse a ERR. O website do diário estoniano Postimees mostrou fotos de ambulâncias e de policiais vestidos com coletes à prova de bala isolando a área ao redor do ministério com um cordão.

De acordo com a mídia local, o ministro da Defesa Mart Laar não devia estar no local no momento do ataque.

*Com BBC e AFP

    Leia tudo sobre: estôniaatirador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG