Homem que estaria descontente com resultado de ação judicial mata juíza e funcionário de tribunal

Uma juíza e um funcionário foram mortos a tiros hoje em plena audiência em um tribunal cível de Bruxelas, confirmaram fontes judiciais à imprensa local. O autor dos disparos teria fugido depois do incidente, de acordo com as mesmas fontes. A polícia de Bruxelas não quis fazer comentários a respeito. Já a promotoria convocou uma entrevista coletiva para informar sobre o fato nesta tarde.

Alguns veículos de imprensa apontam que o suposto assassino estaria descontente com uma decisão da juíza - uma mulher próxima à aposentadoria - e, por isso, abriu fogo, atirando-lhe na cabeça. As balas atingiram também um funcionário da corte, confirmou um magistrado.

O suposto assassino teria fugido a pé do recinto, situado nas imediações do Palácio de Justiça, em pleno centro de Bruxelas. Mesmo assim, ainda não há notícias sobre a captura.

A polícia interditou toda a área. O ministro da Justiça belga, Stefaan De Clerck, o chefe da Polícia de Bruxelas, Guido Van Wymersch, e outras autoridades foram imediatamente ao local.

Policiais interditam rua do tribunal em Bruxelas, na capital da Bélgica
Reuters
Policiais interditam rua do tribunal em Bruxelas, na capital da Bélgica

Em declarações à emissora "RTL", De Clerck qualificou os fatos de "inaceitáveis" e prometeu "continuar com a luta contra a criminalidade" na capital.

No entanto, ele deixou claro que seria impossível que houvesse um policial em cada sala de audiência dos tribunais cíveis, nos quais se resolvem habitualmente problemas menores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.