Atirador do Tennessee odiava o movimento liberal da igreja

O homem que no fim de semana abriu fogo contra os fiéis em uma igreja do Tennessee, matando duas pessoas, quis expressar seu ódio pelo que chamava de movimento liberal, informou a polícia nesta segunda-feira.

AFP |

O ataque foi cometido por Jim Adkisson, um desempregado de 58 anos, que disparou a esmo contra os fiéis durante o culto, informou Joe Hultquist, funcionários do município de Knoxville. Adkisson se encontra preso.

Um grupo de crianças estava cantando para os fíeis quando o homem atirou, mas nenhum delas ficou ferido.

Segundo a WBIR TV, dois membros da igreja dominaram o atirador e o seguraram até a chegada da polícia.

De acordo com outro canal local, o WVLT TV, o homem atirou 13 vezes antes de ser dominado.

O chefe da polícia de Knoxville, Sterling Owen, indicou que Adkisson entrou na igreja com sua arma escondida num estojo de violão, junto com 76 cartuchos, mas só conseguiu disparar três salvas antes de ser capturado.

"Aparentemente o que o levou a este ato horrível foi o fato de não conseguir um emprego, sua frustração por isso e seu ódio declarado pelo movimento liberal. Encontramos uma carta de quatro páginas em que descreve esses sentimentos".

"Parece que a igreja em questão havia recebido alguma publicidade recente sobre sua postura liberal em alguns temas e esse é um dos motivos que, acreditamos, fez com que ele a escolhesse", explicou.

Na carta, o agressor também indicou que esperar poder disparar contra as pessoas até que chegasse a polícia e que esperava morrer sob fogo policial.

cl/ksb/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG