Atirador de Tucson é indiciado por tentativas de assassinato

Jovem de 22 anos responde por três tentar matar a deputada democrata Gabrielle Giffords e dois de seus assistentes

EFE |

Um grande júri federal do Arizona emitiu na quarta-feira uma acusação formal contra Jared Lee Loughner pelo tiroteio de 8 de janeiro, que deixou seis mortos e 13 feridos, incluindo a deputada democrata Gabrielle Giffords.

Loughner, de 22 anos, recebeu três acusações formais: tentativa de matar Gabrielle e dois de seus assistentes, informou em comunicado o procurador Dennis Burke em Phoenix, Arizona.

"Estamos nas primeiras etapas dessa investigação", disse Burke em comunicado, ressaltando que "as acusações de hoje são só o começo" da ação legal.

"Estamos trabalhando incansavelmente para assegurar que nossa investigação seja exaustiva e se faça justiça com as vítimas e suas famílias", afirmou.

O tiroteio aconteceu quando a congressista participava de um ato público em um supermercado na cidade de Tucson, no Arizona.

Entre os seis mortos estava o juiz federal John Roll e uma menina de nove anos que havia nascido no 11 de Setembro de 2001.

Gabrielle sobreviveu a um disparo na cabeça e se recupera dos graves ferimentos causados pela bala, que atravessou o lado esquerdo do seu cérebro.

A deputada respondeu de forma positiva a uma operação no olho, respira sem a ajuda de aparelhos e é capaz de reconhecer o marido, o astronauta Mark Kelly, segundo informações dele mesmo.

A previsão é de que Gabrielle seja transferida na sexta-feira a um centro de reabilitação em Houston, no Texas.

    Leia tudo sobre: euaarizonaJared LoughnerGabrielle Giffordstucson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG