Atirador da Califórnia queria matar ex-mulher, diz polícia

Acusado de ter deixado oito mortos a tiros em salão de beleza queria assassinar funcionária com quem tinha um filho

iG São Paulo |

AP
Salão de beleza na Califórnia, onde tiroteio deixou 8 mortos (12/10)
O homem acusado de ter deixado oito mortos a tiros em um salão de beleza na Califórnia queria assassinar uma mulher que trabalhava no local e que provavelmente era sua ex-esposa, informou a polícia nesta quinta-feira.

Scott Dekraai, 42 anos, apesar de ter casado novamente, tinha uma relação tensa com a ex-mulher devido à guarda do filho e parecia sofrer de estresse pós-traumático após um acidente de barco em 2007. Dekraai foi detido após o tiroteio, que ocorreu em um salão de beleza de Seal Beach, ao sul de Los Angeles.

Tim Olson, chefe da polícia de Sean Beach, afirmou que publicará na sexta-feira a identidade das vítimas. "Não foi um ato de violência indiscriminada", disse Olson. "O suspeito conhecia seu objetivo."

A ex-mulher de Dekraai, Michelle Fournier, trabalhava no salão de beleza e ainda não foi confirmado se ela morreu durante o ataque.  Nos documentos judiciais do processo de divórcio, o médico de Dekraai, Ronald Silverstein, revela que seu paciente sofre de estresse pós-traumático devido a um grave acidente em um rebocador, segundo o jornal Los Angeles Times.

Nos documentos também constam que a Fournier disse que o ex-marido se mostrou um homem agressivo durante o casamento e em 2008 agrediu o próprio padrasto, se declarando culpado em seguida. Uma ordem de restrição temporária obtida pelo padrasto de Dekraai em 2007 dizia que um ataque semelhante já tinha acontecido naquele ano, e o deixou com cortes e queimaduras no rosto e no braço direito. Segundo o documento, o filho de Dekraai testemunhou a agressão.

Nos seus formulários no processo, Scott Dekraai disse que a ex-mulher tinha problemas com álcool, acrescentando que ela falava palavrões alto em um jogo de baseball do filho dos dois e que sentiu seu hálito de bebida alcóolica quando foi buscar o filho da casa dela. Ele disse em 2008 que só falaria com a ex-mulher por e-mail, para evitar as ofensas verbais.

Michelle também alegou que o ex-marido chamou a emergência pelo menos uma vez "alertando que iria se matar ou matar alguém". Ela escreveu que ele é "diagnosticado como um indivíduo bipolar que tem problemas com seus medicamentos e as reações dos mesmos".

Em fevereiro de 2007, Dekraai testemunhou a morte de um jovem marinheiro, esmagado por uma corda que ligava o rebocador a uma barca, em um acidente que o deixou incapacitado.

Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: califórniaeuaatiradoratentado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG