Atentandos deixam 29 mortos no Afeganistão

Pelo menos 29 pessoas morreram nesta segunda-feira em uma onda de atentados no Afeganistão, incluindo um alto funcionário de uma província do leste do país e duas crianças.

AFP |

Um atentado suicida em Mihtarlam, capital da província de Laghman, próxima da capital Cabul, matou sete pessoas, entre elas o prefeito Mohammad Rahim Rahim, maior autoridade provincial depois do governador, informou o ministério do Interior.

Rahim deixava a sede da prefeitura quando o terrorista se aproximou a pé do automóvel e detonou os explosivos. As outras vítimas do ataque foram três seguranças do prefeito e três civis.

Um portavoz dos talibãs, Zabihulah Muyahid, reivindicou o atentado em uma ligação à AFP de um local desconhecido.

Outros dois ataques provocaram a morte de pelo menos 20 pessoas, incluindo 14 civis, no sul do Afeganistão.

Uma bomba explodiu na passagem de um trator que retirava uma carreta com vários passageiros da tribo nômade kuchi, na província de Zabul, matando 12 pessoas, incluindo duas crianças e seis mulheres.

Na mesma província, um grupo de talibãs atacou uma obra e matou seis seguranças e dois civis, de acordo com a polícia, informou Wazir Mohamad, chefe do distrito de Shalmazai, cenário do ataque..

Mohamad informou ainda que dois insurgentes islamitas morreram no mesmo distrito quando tentavam instalar explosivos na estrada.

Na mesma província, um grupo de talibãs atacou uma obra e matou seis seguranças e dois civis, de acordo com a polícia. Os operários trabalhavam na reconstrução de uma ponte destruídas pelos rebeldes, segundo Ghulam Jialini, chefe adjunto da polícia provincial.

Os talibãs governaram o Afeganistão de 1996 a 2001 e foram derrubados por uma coalizão militar liderada pelos Estados Unidos. Apesar da presença de 70.000 soldados, intensificaram os atos violentos nos últimos dois anos.

Os insurgentes anunciaram na semana passada uma intensificação dos ataques contra o governo do presidente Hamid Karzai e seus representantes provinciais até as eleições presidenciais de 20 de agosto.

Karzai é o grande favorito das eleições. Nomeado em dezembro de 2001 pela coalizão internacional, foi eleito chefe de Estado no fim de 2004.

str-wm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG