Atentados no Afeganistão matam 20 civis e dois soldados canadenses

Uma série de ataques atribuídos aos talibãs matou neste fim de semana 20 afegãos, incluindo 14 crianças, e dois soldados canadenses da força internacional sob comando da Otan.

AFP |

Dezesseis pessoas, incluindo 14 crianças, morreram neste domingo e 58 ficaram feridas em um atentado suicida com carro-bomba na região leste do Afeganistão, segundo um balanço divulgado pela Força de Assistência Internacional para a Segurança (Isaf) da Otan.

"Nesta manhã, um suicida ao volante de um carro detonou os explosivos diante do quartel-general do distrito de Mando Zayi, na província de Khost. A explosão matou 16 afegãos e feriu outros 58. Entre os falecidos estão 14 crianças e um soldado", afirma a Isaf em um comunicado.

O atentado aconteceu perto de uma escola para onde as crianças seguiam para receber os resultados finais.

O local seria o cenário de uma reunião sobre segurança entre o governador do distrito, Dawlat Jan Qayomi, e líderes tribais.

O governador Qayomi, atribuiu o ataque aos talibãs.

A região de Khost, na fronteira com o Paquistão, é um dos redutos dos talibãs, expulsos do poder pela coalizão militar liderada pelos Estados Unidos em 2001. Desde então executam uma sangrenta rebelião contra as forças afegãs e os 70.000 soldados estrangeiros mobilizados no país.

Na província de Oruzgan, sul do país, uma pessoa morreu e duas ficaram feridas na explosão de uma bomba em uma loja de música. O regime talibã (1996-2001) proibiu as canções não religiosas.

No sábado, dois soldados canadenses da Isaf, sob comando da Otan, um policial e um intérprete afegãos morreram na explosão de uma bomba no sul do Afeganistão.

O ataque aconteceu no distrito de Panjwayi, na província de Kandahar, segundo o tenente-coronel canadense Jay Janzen.

A explosão também deixou feridos outros quatro soldados canadenses e um intérprete.

O atentado acontedeu no dia em que o ministro canadense da Defesa, Peter Mackay, e o comandante do Estado-Maior do país, general Walter Natynczyk, encerravam uma visita de três dias à província.

Mais de 290 soldados estrangeiros da Isaf e da coalizão sob comando dos Estados Unidos morreram este ano no Afeganistão, contra 230 em 2007, segundo um balanço da AFP com base em dados do site independente icasualties.org.

Em outro incidente, um membro do governo provincial de Kandahar foi morto a tiros em uma mesquita no sábado à noite.

Além disso, o Exército americano anunciou a morte de cinco militantes e a prisão de seis talibãs, também no sábado.

emd/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG