Atentados matam 50 no Iraque; xiitas são maior alvo

MOSUL - Um carro-bomba guiado por um militante suicida matou 38 pessoas que deixavam uma mesquita xiita nos arredores de Mosul, no norte do Iraque. Em Bagdá, bombas mataram outras 12 pessoas nesta sexta-feira, segundo autoridades.

Reuters |

A polícia disse que 140 pessoas ficaram feridas no atentado suicida, que é parte de uma série nas últimas semanas contra concentrações de xiitas. O governador provincial Atheel Al Nujaifi disse que 37 pessoas morreram no ataque e 276 ficaram feridas.

Bomba atingiu micro-ônibus que levava xiitas
Bomba atingiu micro-ônibus que levava xiitas / AP

Há uma semana, explosões nos arredores de mesquitas xiitas em Bagdá mataram 31 pessoas. A responsabilidade costuma ser atribuída a militantes sunitas como os da Al Qaeda, que consideram os xiitas hereges.

"Eu estava em casa quando essa explosão aconteceu. Corri para a mesquita para procurar meu pai entre as ruínas. Encontrei-o gravemente ferido e o levei para o hospital, mas ele morreu", disse Khalil Qasim, 19 anos, chorando.

As autoridades de Mosul pediram à população que doe sangue, e solicitaram veículos da construção civil para a remoção dos destroços que estão sobre as vítimas do ataque, na localidade de Shreikhan, habitada majoritariamente por turcomenos xiitas, um pouco ao norte da cidade de Mosul, onde há explosões e tiroteios quase diários.

A violência diminuiu no Iraque nos últimos 18 meses, mas os insurgentes conseguiram se refugiar em áreas montanhosas em torno de Mosul, 390 quilômetros ao norte de Bagdá, e exploram divisões existentes entre árabes e curdos na região.

A disputa na província de Nineveh, da qual Mosul é a capital, ameaça inflamar a tensão que em longo prazo poderiam ameaçar a estabilidade de longo prazo do Iraque.

"Há partidos que buscam criar o caos dentro de Mosul arrastando o Iraque para a luta sectária", disse Nujaifi.

Também em Mosul, três policiais foram assassinados em dois diferentes locais.

Em Bagdá, as bombas explodiram em calçadas à passagem de micro-ônibus que levavam xiitas de volta de uma peregrinação na véspera.

Duas explosões ocorreram separadamente na favela xiita de Sadr City; a terceira ocorreu na zona leste, deixando, segundo fontes hospitalares, um total de 6 mortos e 24 feridos.

Mais tarde, possivelmente numa retaliação pelos ataques anteriores, uma bomba deixada em uma moto matou seis pessoas e feriu 35 em um bairro sunita da zona oeste.

Vários incidentes graves nas últimas semanas geram dúvidas sobre a capacidade das forças locais para assumirem sozinhas a segurança depois da retirada norte-americana dos centros urbanos, em junho.

Na quinta-feira, no entanto, uma peregrinação que atraiu centenas de milhares de xiitas a Kerbala transcorreu pacificamente, assim como já ocorrera em um grande evento religioso de julho.

A celebração de Kerbala marca o aniversário do imã Mohammed Al Mehdi, que desapareceu há séculos e, na crença xiita, irá voltar para trazer a paz à Terra.

Por Jamal Al Badrani

Leia mais sobre Iraque

    Leia tudo sobre: atentadobagdábombairaquexiitas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG