Um tribunal de Londres condenou nesta quarta-feira a um mínimo de 32 anos de prisão um médico iraquiano considerado culpado de tentar matar centenas de pessoas nos fracassados atentados de Londres e Glasgow (Escócia) no final de junho de 2007.

Bilal Abddulah, de 29 anos, nascido na Grã-Bretanha, mas criado no Iraque, foi declado culpado na terça-feira por um tribunal londrino de conspiração para causar explosões nos atentados fracassados de junho de 2007.

O juiz que presidia o julgamento classificou Abdullah de "extremista religioso e intolerante" antes de anunciar a sentença.

mt/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.