Atentados deixam mais de 70 mortos no Iraque

Mais de 70 pessoas, entre elas vários peregrinos iranianos, morreram em atentados suicidas no Iraque, sendo que o pior deles deixou pelo menos 45 mortos em um restaurante perto de Baaquba, a nordeste de Bagdá, anunciou nesta quinta-feira um oficial do Exército iraquiano.

AFP |

O atentado no restaurante foi registrado em Al-Muqdadia, 25 km a leste de Baaquba, e deixou até o momento 45 mortos e 55 feridos, indicou a fonte.

O restaurante estava cheio de peregrinos iranianos que se dirigiam para a cidade sagrada de Kerbala, ao sul de Bagdá.

Em Bagdá, 28 pessoas foram mortas e 52 ficaram feridas em um atentado suicida contra uma patrulha da Polícia, segundo autoridades do Ministério do Interior e da Defesa.

"Policiais iraquianos distribuíam ajuda humanitária a famílias de refugiados quando uma suicida explodiu a carga que levava consigo" no sudeste da cidade, declarou à AFP um membro do Ministério do Interior.

Ele indicou que 28 pessoas morreram e 52 foram feridas, um registro confirmado por uma autoridade do Ministério da Defesa.

Segundo a Polícia, uma mulher acionou os explosivos que estavam escondidos em uma vestimenta tradicional negra.

Um funcionário do hospital Ibn Nafis indicou à AFP que muitas pessoas se acotovelavam para tentar saber os nomes das vítimas. O estabelecimento recebeu os corpos de dez policiais, de cinco crianças e de uma mulher, além de 25 feridos.

O Iraque registra nas últimas semanas uma intensificação da violência, principalmente atentados suicidas com carros-bomba, após vários meses de queda no número de atentados.

O recrudescimento da violência ocorre no momento em que os 140.000 soldados americanos começam a se retirar progressivamente do Iraque, mais de seis anos depois da invasão de março de 2003.

Ainda nesta quinta-feira, o Exército iraquiano declarou ter prendido o misterioso chefe da Al-Qaeda no Iraque, Abu Omar al-Bagdadi.

"Com base em informações que recebemos, as forças iraquianas prenderam o criminoso terrorista Abu Omar al-Bagdadi em Bagdá", disse à AFP o porta-voz militar de Bagdá, general Qassem Atta.

O principal líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Mussab al-Zarqaui, foi morto em junho de 2006 pelos americanos. Ele foi substituído alguns meses depois por Abu Ayub al-Masri e, mais tarde, o "Estado Islâmico do Iraque", proclamado pela Al-Qaeda em outubro de 2006, anunciou que al-Bagdadi havia se tornado seu novo chefe.

Esta não é a primeira vez que as autoridades anunciam a morte ou a prisão deste chefe rebelde, cuja existência é questionada até mesmo pelos americanos.

ak-jac/lm/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG