Atentados deixam mais de 30 mortos no Iraque

Mais de 30 pessoas foram mortas em uma série de atentados nesta segunda-feira no Iraque, segundo as autoridades iraquianas, que alertaram para um aumento da violência em novembro.

AFP |

A academia de polícia de Bagdá foi alvo de um duplo atentado, que deixou 15 mortos e 45 feridos, anunciou o ministério do Interior.

Um camicase acionou os explosivos que carregava às 13H00 (08H00 de Brasília) perto de uma das entradas da academia. Poucos minutos depois, a cerca de cem metros dali, um carro estacionado diante da entrada do ministério dos Recursos Hidráulicos explodiu.

As vítimas são civis e jovens recrutas da polícia, segundo o ministério do Interior.

O último atentado mortífero em Bagdá fora cometido em 10 de novembro, no bairro sunita de Azamiyah, e deixara 28 mortos.

Ainda em Bagdá, um alto fuincionário do ministério iraquiano da Defesa foi gravemente ferido em um atentado com bomba que deixou três mortos e 11 feridos, segundo fontes dos ministérios do Interior e da Defesa.

De acordo com uma fonte do ministério da Defesa, o general Mozher al-Mollah era encarregado de um caso sensível de "reconciliação nacional", ou seja, do retorno de ex-oficiais do Exército de Saddam Hussein expulsos depois da invasão de 2003.

Em Mossul (norte), outro atentado suicida com carro-bomba deixou 15 mortos e 30 feridos, segundo a polícia da cidade. Um camicase detonou seu carro na passagem de uma patrulha conjunta da polícia iraquiana e do Exército americano no centro da cidade, destacou um oficial.

Segundo o ministério do Interior, a maioria das vítimas são policiais.

O Exército americano forneceu um balanço diferente, mencionando oito civis iraquianos mortos e 36 feridos, entre os quais quatro soldados da coalizão e dois policiais iraquianos.

Esta onda de atentados acontece num momento de aumento da violência no Iraque, com 340 mortos em novembro contra 317 em outubro, segundo números comunicados por diferentes ministérios nesta segunda-feira.

Em novembro, morreram 297 civis, 14 militares e 29 policiais, e 728 iraquianos ficaram feridos (600 civis, 28 militares e 100 policiais), segundo os ministérios do Interior, da Saúde e da Defesa.

Também em novembro, 60 rebeldes foram mortos e 875 foram detidos pelas forças de segurança.

Além disso, 17 soldados americanos morreram no Iraque em novembro, contra 13 em outubro, segundo o site independente icasualties.org.

ak/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG