Atentados deixam 39 mortos e 95 feridos no Paquistão

Dois atentados suicidas que tinham como alvo o Exército paquistanês deixaram 39 mortos e 95 feridos nesta sexta-feira em Lahore, a grande cidade do leste do Paquistão, apesar de o governo ter assegurado que operações de segurança haviam enfraquecido a milícia islâmica Taleban.

iG São Paulo |

"Dois homens-bomba atacaram em um período de 15 a 20 segundos e estavam a pé", afirmou Tariq Saleem Dogar, chefe de polícia da província de Punyab. "São 39 mortos e 95 feridos", afirmou.

AP
oldados inspecionam local de ataque em Lahore

Autoridades e soldados paquistaneses visitam local de ataque

Balanço anterior indicava o número de mortos entre 25 e 30. Entre os mortos nos ataques, lançados em um bairro militar da cidade perto da fronteira com a Índia, estão cinco soldados, segundo militares.

Os atentados aconteceram nas imediações de um mercado de Lahore e representaram a quinta ação terrorista no país só nesta semana, incluindo a explosão de um carro-bomba contra um prédio da inteligência policial também em Lahore que deixou 13 mortos na segunda-feira. Esse ataque foi reivindicado pelo Taleban.

Reuters
Mulher chora por filho desaparecido em ataque em Lahore

Mulher chora por filho desaparecido em ataque em Lahore

Além disso, um tiroteio e bombardeio de uma agência humanitária dos EUA deixaram seis mortos no noroeste do país na quarta-feira .

"Encontramos as cabeças de dois homens-bomba. O alvo era um comboio de veículos militares", declarou mais cedo o policial Chaudhry Mohamad Shafiq.

Um fotógrafo da Reuters disse que soldados bloquearam as vias de acesso para o local das explosões para impedir a aproximação de pessoas. Tropas também se mobilizaram nos telhados das casas. Um helicóptero do Exército estava sobrevoando o local.

AP
Policiais bloqueiam vias de acesso a local de ataque

Policiais bloqueiam vias de acesso a local de ataque


Equipes de resgate com macas correram para o local do ataque. O policial Mohammad Shafiz disse a jornalistas que os mentores dos ataques não haviam sido encontrados. Homens-bomba frequentemente prendem explosivos aos seus corpos para realizar as explosões.

*Com informações da AFP e Reuters

Leia mais sobre Paquistão

    Leia tudo sobre: paquistãotalebanterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG