Moscou, 17 ago (EFE).- Um terrorista suicida a bordo de uma caminhonete-bomba matou hoje pelo menos 20 pessoas e deixou dezenas de feridos, ao detonar uma potente carga explosiva no Departamento do Interior de Nazran, a maior cidade da Inguchétia, república russa vizinha à Chechênia.

O atentado aconteceu após as 9h local (2h de Brasília), quando os funcionários policiais estavam em formação no pátio do recinto, disseram fontes do Ministério do Interior inguche, citadas pelas agências locais.

Em um primeiro momento, a Polícia comunicou que a explosão tinha acontecido em um café junto às dependências do Departamento do Interior, mas, pouco depois, o porta-voz da Presidência inguche, Kaloi Akhilgov, disse que o ataque tinha sido cometido por um terrorista suicida.

"Explodiu uma (caminhonete) carregada com explosivos" disse Akhilgov à agência "Interfax", acrescentando que o veículo-bomba dirigido pelo suicida derrubou o portão de acesso ao recinto e, uma vez dentro, a carga explosiva foi ativada.

Segundo a estimativas preliminares dos agentes, a explosão - que provocou um incêndio no edifício - foi de uma potência equivalente a entre 500 e mil quilos de TNT.

"Segundo os últimos dados, 20 pessoas morreram. Seis delas foram identificadas. São todos funcionários da Polícia", disse à "Interfax" Svetlana Gorbakova, porta-voz do Comitê de Investigação da Procuradoria Geral.

Uma cabeça, supostamente a do terrorista suicida, foi encontrada a 50 metros do centro da explosão, disseram fontes policiais, citadas pelo jornal digital "Newsru.com".

Os feridos - cerca de 60, segundo os últimos dados, incluindo 11 crianças - foram levados a um hospital.

Este é o segundo ataque suicida em menos de dois meses na Inguchétia. Em 22 de junho, outro terrorista suicida detonou um carro-bomba na passagem da comitiva do presidente inguche, Yunus-bek Yevkurov, que ficou gravemente ferido.

Yevkurov responsabilizou pelo atentado terrorista de hoje a guerrilha islâmica, que - disse - cometeu o atentado "para ganhar importância e gerar pânico entre a população".

O primeiro-ministro inguche, Rashid Gaisanov, declarou três dias de luto a partir de hoje em todo o território da república, em memória às vítimas do atentado. EFE bsi/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.