Islamabad, 5 abr (EFE).- Em um novo episódio de violência sectária no Paquistão, 30 pessoas morreram hoje em um atentado suicida cometido em frente a uma mesquita xiita contra um encontro religioso de milhares de fiéis em uma localidade da província do Punjab.

Segundo um chefe policial regional citado pelo canal privado "Express TV", outras 150 pessoas ficaram feridas no atentado, que ocorreu em cerimônia com a presença de mais de 2 mil xiitas na cidade de Chakwal.

A agência estatal "APP", citando uma fonte policial de menor categoria, situou também em 30 o número de mortos e em 160 o de feridos, mas a cadeia "Geo TV", que não precisou suas fontes, fixou as vítimas mortais em 24.

O terrorista pretendia entrar no templo xiita de Chakwal, cerca de 90 quilômetros ao sudeste de Islamabad, mas vários guardas de segurança o impediram, momento no qual detonou sua carga explosiva, segundo a Polícia.

Milhares de membros desse ramo do Islã minoritário no Paquistão - frente à maioria sunita - tinham se reunido para a reza por ocasião da celebração do Majlis-e-Aza, que lembra a morte do imame xiita Hussein Ibn Ali, neto do profeta Maomé.

Muitos veículos na área sofreram danos por causa da potente explosão.

A "Geo TV" descreveu o suicida como um adolescente de 16 anos e detalhou que, entre os mortos, há quatro crianças.

Ambulâncias de localidades próximas chegaram a Chakwal para transferir os feridos, e agentes policiais também foram ao local para iniciar as primeiras investigações sobre o atentado.

Tanto o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, quanto o primeiro-ministro, Yousaf Raza Gillani, já condenaram o ataque terrorista.

O atentado vem precedido de outros dois ataques suicidas cometidos ontem, um deles em Islamabad, que mataram 16 pessoas. EFE igb-amp/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.