Atentado suicida deixa oito soldados mortos no Paquistão

Pelo menos oito soldados paquistaneses morreram neste domingo num atentado suicida contra um posto de controle no noroeste do Paquistão, perto da fronteira com o Afeganistão, anunciaram responsáveis paquistaneses.

AFP |

O camicase lançou seu carro-bomba contra um posto de controle em Zalai, a 20 km a oeste de Wana, principal cidade do Waziristan do Sul, um dos distritos tribais usados como refúgio por talibãs e combatentes ligados à rede Al-Qaeda.

"O suicida chegou num jipe e detonou a bomba, matando pelo menos oito soldados", declarou à AFP um responsável da administração local, Mawaz Khan.

O porta-voz do exército paquistanês, o general Athar Abbas, confirmou este número e declarou à AFP que o posto alvo fica perto do quartel general dos paramilitares, uma unidade encarregada da vigilância da fronteira afegã.

O Paquistão vem sofrendo desde julho de 2007 vários atentados, suicidas em sua maioria, e já registrou mais de 1.300 mortos. Estes ataques são atribuídos a grupos islamitas ligados à Al-Qaeda.

As zonas tribais, segundo Washington e o governo afegão, servem de base para os insurgentes, que se beneficiam no local do apoio dos talibãs paquistaneses para realizar ataques em território afegão contra as forças internacionais.

Estas regiões são regularmente atingidas por mísseis lançados por aviões sem pilotos americanos, que visam alvos suspeitos dos talibãs e da Al-Qaeda.

O último destes ataques foi sexta-feira, no qual um alto responsável egípcio da Al-Qaeda, Abu Jihad Al-Masri, foi morto, segundo autoridades paquistanesas.

O homem era considerado pelos Estados Unidos o chefe da propaganda da rede de Osama bin Laden, e Washington havia oferecido um prêmio de um milhão de dólares por sua morte ou sua captura.

Desde 13 de agosto, 18 ataques americanos foram lançados contra as zonas tribais, enfraquecendo as relações entre os Estados Unidos e o Paquistão, no entanto aliados desde 2001 na "guerra contra o terrorismo".

Pressionado pelos Estados Unidos a agir com mais firmeza contra o terrorismo, o Paquistão livra desde o mês de agosto uma ofensiva militar em um outro distrito tribal, o Bajaur, onde há refúgios dos talibãs paquistaneses, ligados à Al-Qaeda e acusados por Islamabad de organizar atentados em território paquistanês.

str-sz/sg/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG