Atentado suicida deixa 15 mortos em Islamabad

Pelo menos 14 policiais e um civil morreram neste domingo em um atentado suicida contra as forças de segurança que acompanhavam uma manifestação diante da Mesquita Vermelha de Islamabad, no Paquistão, para lembrar o assalto militar do ano passado contra militantes islâmicos entrincheirados no local.

AFP |

O suicida, um homem jovem e a pé, investiu contra o contingente da polícia enviado ao local para cuidar da segurança da manifestação pacífica, que reuniu milhares de pessoas.

Segundo um oficial, 14 policiais e um civil morreram no atentado, e 20 pessoas ficaram feridas.

O ataque ocorreu cerca de 15 minutos após o final da manifestação, quando os policiais enviados à zona da Mesquita Vermelha dirigiam a multidão para dispersá-la.

O terrorista suicida se dirigiu a um grupo de agentes que estava a cerca de 100 metros da mesquita e explodiu a carga que levava consigo, disse à AFP um oficial das forças de segurança, que pediu para não ser identificado.

Após a explosão, um fotógrafo da AFP viu vários policiais caídos no asfalto, alguns terrivelmente mutilados.

"Estávamos jogando cricket em um parque próximo quando ouvimos a violenta explosão. Quando olhamos, vimos vários policiais caídos. Levamos alguns para o hospital, mas já estavam mortos", disse uma testemunha.

A manifestação em torno da Mesquita Vermelha reuniu muitos simpatizantes dos talibãs e da rede Al-Qaeda, que agitaram bandeiras negras e gritaram palavras de ordem para lembrar os "mártires" do ataque do ano passado.

O líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, seu segundo em comando, Ayman Al-Zawahiri, e os talibãs paquistaneses tinham jurado vingar os "mártires" da Mesquita Vermelha e decretado uma "Jihad" (guerra santa) contra o regime do presidente Pervez Musharraf e seu Exército.

O assalto das forças de segurança à Mesquita Vermelha deixou mais de 100 mortos, incluindo mulheres e crianças.



    Leia tudo sobre: atentado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG