Atentado no Paquistão mata 3 militares americanos

Islamabad, 3 fev (EFE).- Os estrangeiros que morreram hoje em uma explosão no Paquistão, na qual pelo menos outras dez pessoas perderam a vida, são três membros do Exército dos Estados Unidos, disseram à Agência Efe fontes oficiais, que negaram que o alvo do atentado tivesse sido um comboio humanitário.

EFE |

Os militares mortos estavam no Paquistão formando membros da Guarda de Fronteiras, explicaram um porta-voz militar e uma fonte da inteligência.

Segundo informações, entre quatro e cinco pessoas a mais perderam a vida no ataque, entre elas um soldado paquistanês e de três a quatro estudantes de uma escola para meninas nos arredores do local da explosão.

No entanto, fontes policiais consultadas antes pela Agência Efe elevaram o total de óbitos para 14, dos quais três seriam de estrangeiros; quatro, de membros das forças de segurança, e sete, de estudantes adolescentes.

A Polícia também cifrou em 128 o número de feridos, em sua maioria estudantes que ficaram presas entre os escombros do centro educativo, cuja estrutura foi parcialmente destruída na explosão.

O ataque aconteceu por volta das 11h15 (4h15 de Brasília), quando uma bomba situada à beira de uma estrada explodiu durante a passagem do comboio pela região de Koto.

As primeiras informações davam conta que três jornalistas estrangeiros tinham morrido no atentado. Mas, posteriormente, foi dito que os estrangeiros eram trabalhadores humanitários. Por fim, disseram que entre os mortos havia membros da USAID, a agência dos Estados Unidos de ajuda ao desenvolvimento.

O porta-voz da embaixada dos EUA em Islamabad, Rick Snelsire, garantiu à Efe que a representação diplomática divulgará em breve um comunicado para dar sua versão do ocorrido. EFE igb/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG