Atentado mata dirigentes da OLP e mais 2 no Líbano

(Acrescenta detalhes sobre o ataque e declarações de dirigente da OLP) Beirute, 23 mar (EFE).- Os dirigentes da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) no Líbano Kamal Medhat e Akram Daher, morreram hoje, junto com dois seguranças, em um atentado com bomba cometido em um campo de refugiados no sul do Líbano.

EFE |

A explosão ocorreu perto do campo de refugiados palestinos de Mieh Mieh, próximo à localidade de Sidon, informou Munil Mahda, responsável militar do movimento palestino no assentamento.

Medhat - um dos líderes do Fatah no Líbano - era o braço direito do líder da OLP no Líbano, Abbas Zaki, e conhecido como Kamal Nagi, enquanto Akram Daher era o responsável de Esportes da OLP no Líbano.

Segundo a fonte, a bomba era composta por aproximadamente 20 quilos de material explosivo e foi detonada quando um comboio com as vítimas passava perto do acesso ao campo de refugiados.

O carro ficou totalmente destruído, segundo as imagens mostradas pela rede de televisão libanesa por satélite "LBC".

Esta emissora citou fontes do Fatah, que disseram que o atentado era destinado contra Zaki, que tinha saído do campo minutos antes da explosão, em um carro parecido ao que transportava Medhat.

Pouco depois do ataque, Zaki pediu contenção aos palestinos e qualificou o atentado como uma das maiores perdas para seu povo, especialmente porque ocorreu quando mais se precisava de Medhat, informou a "Agência Nacional de Notícias" ("ANN") libanesa.

Zaki disse que não haverá consequências diretas por este crime, e que espera que as investigações consigam descobrir os culpados.

A imprensa local afirmou que Mehdat se dirigia ao campo de Mieh Mieh para tentar acalmar a situação, após um incidente ocorrido no sábado passado, que deixou dois mortos e três feridos em uma briga entre famílias rivais.

Várias ambulâncias e policiais, assim como responsáveis palestinos, foram ao local zona do atentado, que se encontra perto de um controle militar.

Os refugiados palestinos se encontram em máxima alerta no campo, assim como no de Ein el-Hilweh, o maior do Líbano, enquanto o Exército reforçou a segurança nestes assentamentos.

O assunto já está nas mãos da Justiça libanesa. EFE ks/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG