Atentado mata ao menos 6 soldados italianos e fere 52 em Cabul

(Atualiza com apuração de mortos e reivindicação talibã) Cabul, 17 set (EFE).- Pelo menos 16 pessoas, incluindo seis soldados italianos, morreram hoje e outras 52 ficaram feridas em um ataque suicida cometido pelos talibãs no centro de Cabul contra um comboio das tropas internacionais, informaram fontes oficiais.

EFE |

A explosão, que pôde ser ouvida em grande parte da cidade, ocorreu às 12h10 local (4h40 de Brasília), quando um terrorista lançou seu veículo contra um comboio de soldados italianos na capital, segundo a imprensa afegã.

O porta-voz do Ministério da Defesa afegão, Zahir Azimi, disse à Agência Efe, em Cabul, que pelo menos dez civis morreram e outros 52 ficaram feridos.

A área da explosão, próxima à zona das embaixadas de Cabul, estava muito movimentada quando aconteceu o ataque, afirmaram várias testemunhas, que disseram ter visto cerca de dez soldados estrangeiros mortos ou feridos.

"Podemos confirmar a explosão, nas cercanias da praça Masoud, e também que há vítimas da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf)", confirmou à Efe um porta-voz dessa organização em Cabul, sem distinguir entre mortos e feridos.

Contatado por telefone, o porta-voz talibã Zabihullah Mujahid assumiu a autoria do atentado e disse à Efe que 13 soldados italianos morreram por causa da explosão.

De Roma, o ministro da Defesa da Itália, Ignazio La Russa, confirmou que seis soldados italianos morreram hoje e outros quatro ficaram feridos graves no atentado em Cabul.

Os soldados pertencem ao 183º Regimento Folgore, com sede em Cabul, onde a Itália tem 450 militares, explicou o ministro, no Senado.

La Russa explicou que os mortos já foram identificados, mas seus nomes não foram informados, porque suas famílias ainda não foram avisadas.

O Governo e toda a nação expressam "seu pesar, proximidade e solidariedade às famílias das vítimas e ao Exército, e se sentem orgulhosos dos militares e do trabalho que estão fazendo no Afeganistão em defesa da liberdade".

O ministro da Defesa confirmou que as tropas italianas continuarão fazendo seu trabalho nesse país.

Com as vítimas de hoje, sobe para 20 o número de militares italianos mortos desde 2004 no Afeganistão. EFE nh-daa-amp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG