Atentado mata 40 pessoas em quadra de vôlei no Paquistão

Islamabad, 1 jan (EFE).- Pelo menos 40 pessoas morreram hoje e 85 ficaram feridas quando um suicida jogou um veículo contra uma quadra de vôlei no noroeste do Paquistão, onde o Exército lidera em várias frentes uma guerra contra a insurgência talibã.

EFE |

O atentado terrorista ocorreu no distrito de Laki Marwat, situado na localidade de Bannu, fora das áreas tribais paquistanesas, mas na fronteira com Waziristão do Norte e do Sul, onde os talibãs têm seus principais redutos.

O chefe policial do distrito, Ayub Khan confirmou ao canal "Geo TV" o atentado e disse que ocorreu durante uma partida de vôlei e que uma residência próxima desmoronou por causa da explosão. Os feridos foram transferidos para um hospital próximo.

Atualmente, o Exército paquistanês realiza uma ofensiva contra a insurgência talibã na vizinha Waziristão do Sul e divulga diariamente um balanço sobre os avanços e o número de vítimas da operação, embora também ocorram combates pontuais em outros distritos.

O comando militar considera que as tropas já "limparam" quase completamente os insurgentes Waziristão do Sul, mas os analistas estimam que a cúpula da insurgência e muitos dos combatentes da base estejam refugiados em distritos tribais próximos.

Na limítrofe Waziristão do Norte, onde as tropas não entraram, buscam refúgio os membros da rede terrorista Al Qaeda e insurgentes comandados por um líder talibã, Hafiz Gül Bahadur, que centraliza os esforços na luta contra as forças estrangeiras no Afeganistão.

O comando militar paquistanês chegou a um pacto de não agressão com Bahadur, assim como com outros líderes insurgentes que não atuam em território paquistanês para facilitar sua operação militar em Waziristão do Sul.

A imprensa especula que o ex-mujahedin Jalaluddin Haqqan, cuja rede fundamentalista realiza frequentes ataques contra as forças estrangeiras no leste do Afeganistão, está no Waziristão do Norte.

Esta região tribal fica no limite com a província afegã de Khost, onde há dois dias um suicida vestido com o uniforme do Exército afegão detonou uma bomba em uma base dos EUA e acabou com a vida de sete funcionários da CIA.

A CIA (agência de inteligência americana) realiza frequentes ataques com aviões espiões contra alvos insurgentes nas regiões tribais paquistanesas.

Nas últimas 24 horas, dois ataques com mísseis acabaram com a vida de pelo menos cinco pessoas no Waziristão do Norte, segundo a imprensa paquistanesa.

Os talibãs já advertiram que responderiam com atentados às ações militares paquistanesas e estrangeiras e, nos últimos três meses, o Paquistão está sendo palco de uma onda de violência terrorista que já matou mais de 700 pessoas, na maioria civis.

O último grande ataque ocorreu em 28 de dezembro na cidade de Karachi, contra uma procissão xiita que participava da festa sagrada da Ashura, onde morreram 40 pessoas.

Os ataques não distinguiram população civil de militar e atingiram mesquitas, instalações militares e reuniões populares.

Diante dessa situação, a ONU, que perdeu neste ano 11 trabalhadores no país e sofreu um ataque contra seu escritório do Programa Mundial de Alimentos em Islamabad, anunciou que planeja retirar gradualmente parte de seu pessoal no Paquistão.

As Nações Unidas disseram que a retirada parcial será "por um período limitado, à espera de medidas de segurança adicionais e da evolução da situação". EFE igb-amp/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG