Atentado mata 16 policiais em fronteira da China

Dezesseis policiais chineses foram mortos nesta segunda-feira em um ataque realizado na região muçulmana de Xinjiang, no noroeste do país, segundo a agência oficial de notícias. Duas pessoas a bordo de um caminhão de lixo teriam se aproximado de um posto de checagem de fronteira e lançado duas granadas contra os policiais.

BBC Brasil |

Na seqüência, eles teriam atacado os policiais com facas.

O ataque ocorreu por volta das 8h (21h de domingo em Brasília) próximo à cidade de Kashgar, em um momento em que os policiais praticavam corrida. Segundo a agência oficial Xinhua, os dois agressores foram capturados.

O atentado acontece quatro dias antes da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, em Pequim.

Dezesseis policiais ficaram feridos e 14 morreram no local. Outros dois morreram a caminho do hospital. Um dos agressores ficou ferido.

Xinjiang, no noroeste do país, abriga os muçulmanos Uighur. Alguns separatistas fazem campanha contra o governo chinês há décadas.

Segundo o correspondente da BBC em Pequim Daniel Griffifths, no passado a China já se manifestou contra o que chama de "terroristas" de Xinjiang.

Ameaça à Olimpíada


Na semana passada, uma alta autoridade militar chinesa havia dito que os separatistas muçulmanos são a maior ameaça aos Jogos Olímpicos.

O coronel Tian Yixiang, do Centro de Comando de Segurança, disse que a maior ameaça aos Jogos são a "organização terrorista do Turquestão do Leste", que é como o governo chinês chama os separatistas muçulmanos de Xinjiang.

No mês passado, um grupo chamado Partido Islâmico do Turquestão reivindicou atentados que mataram cinco pessoas em Xangai e Yunnan. No entanto, a China negou que as explosões fossem ataques terroristas.

O centro de inteligência americano IntelCenter, que monitora a comunicação de grupos terroristas, disse que o Partido Islâmico do Turquestão divulgou um vídeo chamado "Nossa Jihad Abençoada" em Yunnan.

No vídeo, o líder do grupo, o comandante Seyfullah, disse que foi responsável por diversos ataques e fez uma ameaça às Olimpíadas.

"Os chineses ignoraram solenemente nossos alertas", diz o líder, segundo o vídeo divulgado pelo IntelCenter.

"Os voluntários do Partido Islâmico do Turquestão (...) começaram ações urgentes."

Manifestação


Em Pequim, a polícia chinesa entrou em choque com um pequeno grupo de manifestantes no distrito de Qianmen, próximo à Praça da Paz Celestial.

Os manifestantes protestavam contra o fato de terem de deixar suas casas, para abrir caminho para a reconstrução do distrito.

Leia mais sobre: China

    Leia tudo sobre: chinaolimpíada

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG