Atentado frustrado: preparação profissional mas execução amadora, diz Haia

O atentado frustrado contra um avião de carreira americano que fazia a ligação entre Amsterdã e Detroit no dia do Natal foi preparado de forma bastante profissional mas executado de maneira amadora, avaliou o governo holandês nesta quarta-feira.

AFP |

"O atentado frustrado no voo NW253 entre Amsterdã e Detroit foi preparado de forma bastante profissional mas executado de maneira amadora", declarou a ministra do Interior, Guusje ter Horst.

O explosivo utilizado pelo nigeriano Umar Faruk Abdulmutallab, 23 anos, "não é fácil de fabricar, e sua manipulação é arriscada", destacou a ministra em entrevista coletiva em Haia.

No aeroporto de Schipol, em Amsterdã, pelo qual o nigeriano transitou procedente de Lagos, scanners corporais serão instalados "daqui a três semanas" para controlar os passageiros com destino aos Estados Unidos.

Cada um destes aparelhos custa 150.000 euros.

Cinco milhões de passageiros viajam para os Estados Unidos ou voltam de lá via Schipol a cada ano, disse à AFP Mirjam Snoerwang, porta-voz do aeroporto.

A utilização destes scanners "vai melhorar de forma significativa a segurança dos passageiros, pois estes aparalhos também podem detectar objetos não metálicos", destacou a ministra.

Umar Faruk Abdulmutallab havia escondido em suas roupas um pó explosivo que não foi detectado.

O pai do jovem, um rico banqueiro e ex-ministro nigeriano, foi interrogado segunda-feira na Nigéria pela CIA e o FBI, informou um agente dos serviços de inteligência nigerianos nesta quarta-feira à AFP.

O Iêmen, onde Umar Abdulmutallab afirmou ter sido treinado, reiterou sua determinação em caçar os ativistas da Al-Qaeda, que reivindicou o atentado frustrado na segunda-feira. "O Iêmen nunca será um santuário para os terroristas", garantiu à imprensa o porta-voz do governo iemenita, Hassan al-Lawzi.

"Pedimos aos Estados Unidos que reforcem a cooperação em matéria de inteligência", declarou um responsável pela segurança nesta quarta-feira à AFP.

Os Estados Unidos estão determinados a "identificar e corrigir" as falhas de seu sistema de segurança que permitiram a tentativa de atentado, afirmou nesta quarta-feira a secretária americana de Segurança Interna, Janet Napolitano.

A tentativa de atentado "mostra a capacidade dos terroristas de mobilizar importantes esforços para tentar burlar as medidas de segurança instaladas depois dos atentados de 11 de setembro de 2001", escreveu a ministra em coluna publicada pelo jornal USA Today.

bur/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG