Atentado em hotel do Paquistão mata 5 e fere 70

Por Alamgir Bitani PESHAWAR, Paquistão (Reuters) - Militantes usando armas de fogo e um caminhão-bomba atacaram na terça-feira um hotel frequentado por estrangeiros no noroeste do Paquistão, matando cinco pessoas, incluindo um funcionária da ONU, e ferindo 70 outras, segundo fontes oficiais.

Reuters |

O grupo islâmico Taliban intensificou seus ataques com bombas em reação à ofensiva militar iniciada em abril no vale do Swat, que já foi um destino turístico, e em outras áreas do noroeste paquistanês.

Um repórter da Reuters viu dois estrangeiros feridos sendo retirados do hotel Pearl Continental Hotel, em Peshawar, alvo do atentado.

Fontes de inteligência disseram que alguns agressores escalaram o muro do hotel e entraram no terreno, onde abriram fogo antes de detonar um grande caminhão-bomba no estacionamento.

"Eu estava no restaurante chinês quando ouvimos tiros e depois uma explosão. Ficou totalmente escuro, e as pessoas começaram a gritar e correr", contou à Reuters o garçom Ali Khan.

Dezenas de carros ficaram destruídos. Sahibzada Anis, autoridade da cidade de Peshawar, disse que cinco pessoas morreram, entre elas um funcionário da agência de refugiados da ONU. A polícia informou que o homem era sérvio.

Cerca de 70 pessoas se feriram, entre elas uma alemã que trabalha para o Unicef (agência da ONU para a infância). Um britânico e um nigeriano também ficaram feridos, segundo Anis.

A ONU está muito envolvida no atendimento aos mais de 2,5 milhões de refugiados do conflito no Swat e arredores.

Em setembro do ano passado, um caminhão-bomba guiado por um suicida matou 55 pessoas no hotel Marriott, em Islamabad.

Não está claro quantos militantes se envolveram no ataque de terça-feira e o que aconteceu com eles.

Horas antes, o Exército havia ido em ajuda a uma milícia pró-governo que combate o Taliban num distrito do noroeste paquistanês, onde um suposto atentado do Taliban na semana passada matou cerca de 40 pessoas numa mesquita.

A reação dessa milícia ao ataque é um exemplo entre vários casos nas últimas semanas em que a população se volta contra o Taliban.

O Exército disse na tarde de terça-feira que 14 militantes e um soldado haviam sido mortos nas 24 horas anteriores no Swat.

Ao todo, os militares dizem que mais de 1.300 militantes e 105 soldados foram mortos. Não há confirmação independente dessas cifras.

(Reportagem adicional de Kamran Haider, Faris Ali, Aizaz Mohmand)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG