Atentado em bairro xiita de Bagdá deixa pelo menos 62 mortos

Pelo menos 62 pessoas morreram e 150 ficaram feridas nesta quarta-feira na explosão de uma bomba em um mercado do bairro xiita de Sadr City, em Bagdá, informou o comando central das operações militares da capital iraquiana.

AFP |

Muitas mulheres e crianças estão entre as vítimas.

O atentado acontece a menos de uma semana da anunciada retirada das forças americanas das cidades iraquianas.

Segundo uma fonte do ministério do Interior, um triciclo motorizado cheio de explosivos, cobertos por frutas e verduras, foi deixado em frente ao mercado de aves Mraidi, em Sadr City, e explodiu às 19H00 locais (16H00 GMT).

O bairro xiita, que fica no norte de Bagdá e foi usado como bastião pelo Exército de Mahdi, milícia do chefe radical Moqtada Sadr, tem sido recentemente alvo de violentos atentados.

"Eu faço compras no mercado de Mraidi a cada dois dias. Vi uma bola de fogo e ouvi uma enorme explosão que fez o mercado tremer. Vi quando os carros foram jogados pela potência da explosão. Desmaiei e acordei já no hospital geral de Sadr City", contou à AFP Najem Ali, de 30 anos, que sofreu ferimentos nas mãos e no pé esquerdo.

"O hospital está um caos. Há feridos por toda parte, entre eles mulheres e crianças", acrescentou.

Saif Mohamad, de 20 anos, disse ter "visto pedaços de carne e poças de sangue" quando para o local do atentado em busca de seus amigos. O cheiro era "asfixiante", afirmou.

"Como pode o governo afirmar que é capaz de garantir a segurança? Os que cometem estes atentados não querem que os americanos vão embora", estimou. "Os atentados dos últimos dias demonstram que as forças iraquianas não são capazes de proteger os cidadãos da violência".

Este é o segundo atentado em menos de uma semana, acumulando um alto saldo de vítimas.

No sábado, 72 pessoas morreram na província de Kirkuk, a 250 km de Bagdá. Um terrorista suicida explodiu um caminhão carregado com uma tonelada de explosivos no centro da localidade de Taza, deixando 80 casas destruídas. As autoridades locais atribuíram o ataque à rede Al Qaeda.

O exército americanos se retirará das cidades iraquianas no dia 30 de junho.

bur-sk/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG