Um atentado suicida duplo matou pelo menos 27 pessoas e deixou dezenas de feridos na periferia da cidade iraquiana de Karbala, nesta sexta-feira, de acordo com a polícia local. Dois carros cheios de explosivos teriam sido detonados nos dois extremos de uma ponte usada pelos peregrinos para entrar e sair da cidade.

Há também relatos de tiros de morteiro após as explosões.

Cerca de um milhão de peregrinos muçulmanos xiitas estão em Karbala para visitar o santuário do imã Hussein - uma das figuras mais reverenciadas entre os xiitas.

Cerca de 60 peregrinos foram mortos em dois outros ataques nesta semana.

Eleições
O governador da província onde fica Karbala, Amalheddin Al-Hir, disse à agência de notícias AFP que acredita que militantes da rede extremista Al-Qaeda, apoiados por simpatizantes do ex-líder iraquiano Saddam Hussein realizaram o ataque.

O atentado ocorreu apesar do reforço da segurança neste período de peregrinação a Karbala que, segundo Hir, em duas semanas atraiu cerca de 10 milhões de fiéis ao santuário do imã Hussein.

Mais de 40 peregrinos também morreram na periferia da capital iraquiana, Bagdá, na segunda-feira, quando começavam sua longa jornada para Karbala.

Os atentados despertam temores de mais violência sectária antes das eleições parlamentares de março no Iraque.

A tensão sectária aumentou com divergências sobre a impugnação de mais de 500 candidaturas de pessoas acusadas de ligação com o partido Baath, de Saddam Hussein. A decisão provocou protestos de sunitas, que integravam a base de apoio ao regime de Saddam.

Na quarta-feira, um grupo de sete juízes decidiu levantar a impugnação até que o histórico de cada candidato seja analisado, o que provocou reações negativas de xiitas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.