Atentado deixa pelo menos 8 mortos em restaurante na Índia

Nova Délhi, 13 fev (EFE).- Pelo menos 8 pessoas morreram hoje e 32 ficaram feridas na explosão de uma bomba em um restaurante da cidade de Pune, no oeste da Índia, informou uma fonte oficial.

EFE |

O secretário do Ministério do Interior indiano, G.K. Pillai, disse à imprensa que um garçom descobriu um pacote no estabelecimento e, ao tentar abri-lo, acionou a bomba que estava dentro. Entre os 8 mortos, um era estrangeiro.

Em declaração retransmitida pelo canal "NDTV", Pillai acrescentou que peritos foram enviados ao local e que uma equipe do Escritório Central de Investigação saiu de Nova Délhi com destino a Pune para iniciar as investigações.

O secretário destacou o fato de que, segundo a informação da qual dispõe o Governo, o americano de origem paquistanesa David Coleman Headley estava na comunidade de Osho, próximo ao local do atentado.

Headley é suposto membro do grupo terrorista Lashkar-e-Taiba (LeT) e acusado pela Procuradoria dos Estados Unidos por envolvimento no ataque terrorista de Mumbai de 2008.

Questionado se o Governo deduzia disso que o ataque tinha sido perpetrado pelo LeT, responsável do atentado de Mumbai em 2008, o secretário se limitou a dizer que ainda é cedo demais para afirmar isto.

A bomba explodiu em um bairro nobre de Pune, situada no estado ocidental de Maharashtra, cuja capital é Mumbai.

Pillai disse que, por enquanto, não se pode dizer a nacionalidade do estrangeiro morto no atentado. A imprensa indiana especula que o número de estrangeiros mortos seja maior.

O restaurante também fica perto de um centro judeu.

O ataque ocorreu justamente quando o Paquistão tinha aceitado uma oferta da Índia para que seus secretários de Exteriores se reunissem em Nova Délhi no próximo dia 25, em uma tentativa de destravar as negociações suspensas após o ataque de Mumbai.

Desde o brutal atentado de novembro de 2008 na capital financeira da Índia, não havia sido registrado nenhum grande atentado no país.

EFE amp/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG