Zamboanga (Filipinas), 27 fev (EFE).- Pelo menos dez civis morreram neste sábado e um número ainda não determinado de pessoas ficaram feridas em um atentado realizado por grupos separatistas islâmicos na ilha de Basilan, a 930 quilômetros de Manila, capital das Filipinas.

Segundo fontes militares, cerca de 70 rebeldes participaram do ataque. Uma parte deles era dirigido pelo líder Puruji Indama, do grupo separatista Abu Sayyaf (vinculado à Al Qaeda), enquanto outros são participantes da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI).

As vítimas eram moradores da aldeia de Maluso, onde os insurgentes incendiaram quatro casas cometeram saques antes de fugir.

A tenente Steffani Cacho, porta-voz do Comando de Mindanao Ocidental, explicou aos jornalistas que o ataque foi cometido por volta das 5h45 pelo horário local (18h45 de sexta-feira em Brasília).

O Exército acredita que o ataque em Maluso aconteceu por conta de uma polêmica entre Puruji Indama e a Prefeitura da aldeia.

Um grupo de ex-combatentes da guerra do Afeganistão fundou a Abu Sayyaf em 1991, em Basilan. O FMLI foi criado em 1984 e é a maior organização separatista das Filipinas, com mais de 12 mil militantes. EFE rp/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.