Atentado de separatistas mata pelo menos 11 civis nas Filipinas

(aumenta o número de vítimas e acrescenta dados) Zamboanga (Filipinas), 27 fev (EFE).- Pelo menos 11 civis morreram neste sábado e 13 ficaram feridos em um atentado realizado por grupos separatistas islâmicos na ilha de Basilan, a 930 quilômetros de Manila, capital das Filipinas.

EFE |

As vítimas eram moradores da aldeia de Maluso, onde os insurgentes incendiaram quatro casas cometeram saques antes de fugir. Entre os mortos estão três crianças, de um, nove e dez anos de idade.

Segundo fontes militares, cerca de 70 rebeldes participaram do ataque. Uma parte do grupo era dirigida pelo líder Puruji Indama, do grupo separatista Abu Sayyaf (vinculado à Al Qaeda), enquanto outros são participantes da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI).

As autoridades indicaram que os feridos foram transferidos a centros de saúde da região.

O diretor do escritório regional de Saúde da Região Autônoma do Mindanao Muçulmano, Sakil Jojo Sinolinding, disse que acompanhou quatro feridos, todos eles menores que sofriam queimaduras de terceiro grau.

O Exército acredita que o ataque em Maluso aconteceu por conta de uma polêmica entre Puruji Indama e a Prefeitura da aldeia.

Um grupo de ex-combatentes da guerra do Afeganistão fundou a Abu Sayyaf em 1991, em Basilan. O FMLI foi criado em 1984 e é a maior organização separatista das Filipinas, com mais de 12 mil militantes. EFE rp/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG