Atentado contra organização dos EUA no Afeganistão mata quatro

Taleban reivindica atentado contra empresa terceirizada pela agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento (Usaid)

EFE |

Ao menos quatro pessoas, entre elas dois estrangeiros, morreram nesta sexta-feira, em um atentado suicida reivindicado pelo Taleban contra as instalações de uma organização americana de ajuda ao desenvolvimento em Kunduz, norte do país. Outros dois suicidas foram mortos antes de explodir suas cargas. O atentado foi cometido poucos dias antes da chegada ao Afeganistão do novo chefe das forças internacionais, o general David Petraeus.

© AP
Soldados observam local de atentados desta sexta-feira no Afeganistão

Quatro militantes do Taleban invadiram nesta sexta-feira as instalações da organização DAI, indicou Mohammed Omar, governador da província de Kunduz. A DAI é uma empresa terceirizada pela agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento (Usaid). Dois dos atacantes conseguiram acionar seus cinturões de explosivos. "O primeiro camicase se explodiu na entrada e o segundo no interior dos escritórios", explicou.

Um agente de segurança e um policial afegãos morreram. O governador explicou que dois suicidas foram abatidos pelas forças de segurança antes de conseguirem ativar os explosivos. Segundo a polícia, dois estrangeiros que trabalhavam para a DAI morreram no ataque. Um membro da embaixada americana em Cabul informou que um deles seria um agente de segurança alemão.

O atentado foi reivindicado pelos rebeldes do Taleban. "Esta manhã, seis mártires atacaram um escritório de uma organização americana de ajuda ao desenvolvimento", declarou o porta-voz do Taleban, Zabihulá Mujahid, falando por telefone.

Em comunicado, a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) da Otan confirmou que alguns de seus homens chegaram ao local para controlar a situação, e que proporciona cuidados a "civis feridos" em uma base próxima.

Outros ataques do Taleban

Este é o segundo ataque desta natureza realizado pelo Taleban nos últimos três dias, após uma ação semelhante, embora fracassada, contra o aeroporto e uma base militar em seu interior na cidade oriental afegã de Jalalabad.

Em 22 de maio, os militantes do Taleban atacaram a base de Kandahar, a mais importante do país, disparando cinco foguetes e ferindo vários militares da Otan e civis que trabalhavam no local.

Dias antes, de 30 a 40 militantes haviam atacado Bagram, a segunda base do país. Dezesseis insurgentes e um civil americano morreram. Nove soldados americanos também ficaram feridos.

Em maio, o Taleban prometeu lançar uma série de operações da Jihad (guerra santa) contra as forças da Otan e os estrangeiros em geral, em resposta à ofensiva em Kandahar, berço dos rebeldes.

Desde 2005 e do ressurgimento da insurreição dirigida pelo Taleban, todos os anos se registra um novo recorde de baixas para as tropas estrangeiras, mobilizadas no Afeganistão desde 2001. Com 102 soldados mortos, junho foi o mês mais sangrento para as tropas internacionais desde o início da invasão do Afeganistão, em 2001.

    Leia tudo sobre: TalebanAfeganistãoOtanatentado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG