Atentado cometido em Bagdá na terça-feira já deixou 62 mortos

Bagdá, 18 jun (EFE).- O atentado cometido nesta terça-feira à noite contra um bairro xiita do norte de Bagdá já deixou 62 mortos e 87 feridos, segundo dados recentes oferecidos pelo Ministério do Interior iraquiano.

EFE |

A morte de 11 dos feridos graves que foram internados nos hospitais da capital iraquiana após o atentado fez o número de vítimas fatais subir nas últimas horas de 51 para 62.

Entre as vítimas fatais do atentado - o mais grave dos últimos três meses - há quatro crianças e cinco mulheres, e entre os feridos estão 11 crianças e 12 mulheres.

A explosão, que aconteceu em um mercado junto a uma estação de ônibus na hora do rush do bairro de Al-Hurriya, destruiu três blocos de apartamentos vizinhos.

Além disso, um porta-voz do Exército americano disse à imprensa que têm certeza de que não foi a Al Qaeda nem outro grupo sunita radical que cometeu o ataque.

Paradoxalmente, este porta-voz disse que o ataque foi obra de Haider Mahdi, um xiita radical que tem ligações com os "grupos especiais" - termo usado pelo Exército americano para grupos treinados pelo Irã -, com a intenção de atiçar o ódio sectário.

O nome de Haider Mahdi é praticamente desconhecido, e não se sabe se tem ligação com Moqtada al-Sadr, o popular clérigo xiita radicalmente antiamericano que na sexta-feira passada anunciou a formação de um grupo destinado apenas a combater a ocupação americana. EFE ah/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG