Atentado com caminhão-bomba no Iraque; número de mortos aumenta para 22

Ao menos 22 pessoas morreram e 45 foram feridas na explosão de um caminhão-bomba na madrugada, desta quinta-feira, em um povoado curdo a sudeste de Mossul, no norte do Iraque, segundo o balanço mais recente divulgado pelas autoridades.

Redação com agências internacionais |



Iraquianos observam destroços após explosão / AP


O caminhão explodiu na localidade de Wardak, após a meia-noite, onde um segundo caminhão-bomba não detonou porque seu motorista foi morto por um policial, disse à AFP o capitão Mohammed Khalal.

Ao que parece, foi um ataque suicida, revelou o oficial.

A maior parte das vítimas foi levada para o hospital da cidade de Hamdia. E Exército, a polícia e os "peshmergas", as forças de segurança curdas, isolaram a zona do ataque.

Autoria do atentado

Apesar de nenhum grupo ter assumido a responsabilidades pelo atentado, fontes policiais não descartam que possa estar ligado às tensões entre curdos e árabes na região, de maioria sunita e minoria curda.

No entanto, a União Patriótica do Curdistão (UPK, na sigla em curdo), o partido político do presidente iraquiano, Jalal Talabani, apontou grupos "criminosos" e partidários do regime de Saddam Hussein como possíveis autores da explosão.

O UPK afirmou que o atentado foi perpetrado por apoiadores de Saddam Hussein, "criminosos que não querem assumir suas culpas", além de outros grupos violentos não identificados, em aparente alusão a organizações vinculadas com a Al-Qaeda.

O partido do Taleban não esclareceu a partir de quais indícios responsabilizou antigos partidários do regime de Saddam pelos atentados.

A região de Mossul é uma das mais violentas do Iraque, e há várias semanas enfrenta uma crescente onda de atentados e assassinatos.

Leia mais sobre Iraque


    Leia tudo sobre: bombacurdosiraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG