Ataques racistas na Rússia deixaram 70 mortos este ano

Moscou, 19 mai (EFE).- Pelo menos 70 pessoas morreram este ano em ataques racistas na Rússia, denunciou hoje o diretor do Escritório de Direitos Humanos de Moscou, Aleksandr Brod.

EFE |

"Nos quatro meses e meio deste ano houve pelo menos 126 ataques xenófobos e por motivos de intolerância religiosa na Rússia, nos quais 70 pessoas morreram e outras 120 ficaram feridas", informou o ativista.

Brod acrescentou que, apenas nas duas primeiras semanas de maio, quatro pessoas morreram e outras 12 ficaram feridas em oito ataques racistas, que este ano foram registrados com mais freqüência na capital russa, segundo a agência "Interfax".

Segundo Brod, uma das causas do aumento do número de vítimas é "a aparição de grupos de skinheads especializados nos assassinatos", que centram seus ataques em pessoas procedentes do Cáucaso e da Ásia Central e em estudantes africanos, asiáticos e latino-americanos.

O Escritório de Direitos Humanos de Moscou denunciou que há 800 sites russos de teor ultranacionalista, e que há até 70 mil militantes de organizações racistas e neonazistas.

Brod também constatou que as forças policiais aumentaram a luta contra a xenofobia, pois de janeiro a março a Justiça condenou dezenas de pessoas por manifestações racistas.

O defensor público Vladimir Lukin e a organização internacional Human Rights Watch criticaram a passividade das forças policiais diante das freqüentes manifestações e ataques xenófobos. EFE si/wr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG