Onze pessoas morreram na quarta-feira, incluindo um soldado, em vários ataques executados no extremo sul da Tailândia, de maioria muçulmana, onde a violência se intensifica em pleno meês do Ramadã.

A onda de ataques de quarta-feira foi uma das mais violentas em vários meses na região, que faz fronteira com a Malásia e sofre com uma rebelião separatista há cinco anos.

Homens armados mataram um soldado na província de Narathiwat, onde o líder de um vilarejo foi assassinado poucas horas depois. Na mesma província, um muçulmano foi morto quando retornava com a esposa de uma escola religiosa.

Na província vizinha de Pattani, homens armados mataram um professor de religião se seu filho de 13 anos. Um candidato muçulmano para uma eleição local também foi assinado, assim como outras três pessoas que deixavam uma mesquita.

Em Yala, outra província afetada pela violência, um muçulmano foi assassinado ao fim do jejum de quarta-feira pelo Ramadã. Além disso, a polícia matou um militante em um confronto armado.

Leia mais sobre: Tailândia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.