(Atualiza com ofensiva em outra região tribal e aumenta número de mortos) Islamabad, 5 set (EFE).- Pelo menos 61 insurgentes morreram hoje em ataques das forças de segurança paquistaneses em duas regiões tribais do noroeste do Paquistão, informaram diversas fontes.

No distrito de Khyber, na fronteira com o Afeganistão, o Exército matou 43 fundamentalistas, deteve dois e destruiu um centro de treinamento de um grupo vinculado aos talibãs, segundo um comunicado do comando militar paquistanês.

"Um importante centro do (grupo extremista islâmico) Lashkar-e-Islam (LI) que estava sendo utilizado como esconderijo e campo de treinamento foi destruído na ação militar", afirmou o Exército na nota.

As forças governamentais também destruíram seis veículos e 15 casas dos fundamentalistas no vale de Tira, do distrito de Khyber, situado na fronteira com o Afeganistão.

As forças da Guarda de Fronteiras iniciaram há cinco dias uma operação por terra e ar contra o LI, uma organização proibida com grande influência em Khyber, demarcação por onde passa a principal passagem terrestre entre Paquistão e Afeganistão.

Neste período, as tropas mataram quase 100 fundamentalistas e detiveram cerca de 70. Na ofensiva de hoje, segundo o comunicado, vários insurgentes ficaram feridos.

O LI, que em algumas ocasiões alcançou pactos de não agressão com as autoridades, é um grupo independente, mas vinculado aos insurgentes talibãs, com um amplo histórico de atividades criminosas na região.

O LI e o Tehrik-e-Taliban Pakistan (TTP) - movimento que reúne diferentes facções talibãs paquistanesas -, "colaboram há muito tempo na região", disse à Agência Efe o brigadeiro a cargo da operação.

O militar destacou que a ação militar continuará até que se tenha recuperado o controle da área.

Além disso, as forças de segurança também realizaram hoje uma ofensiva na demarcação tribal de Orakzai, vizinha a Khyber, onde mataram 18 fundamentalistas e destruíram 11 esconderijos e seis veículos, segundo uma fonte oficial citada por vários meios de comunicação do país.

O complexo cinturão tribal paquistanês, um território que nunca esteve sob completo domínio do Estado, serve de refúgio a vários grupos da insurgência talibã, organizações criminosas e membros da rede terrorista Al Qaeda, e é cenário de contínuos atos de violência. EFE igb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.