Ataques militares matam 61 insurgentes no Paquistão

(Atualiza com ofensiva em outra região tribal e aumenta número de mortos) Islamabad, 5 set (EFE).- Pelo menos 61 insurgentes morreram hoje em ataques das forças de segurança paquistaneses em duas regiões tribais do noroeste do Paquistão, informaram diversas fontes.

EFE |

No distrito de Khyber, na fronteira com o Afeganistão, o Exército matou 43 fundamentalistas, deteve dois e destruiu um centro de treinamento de um grupo vinculado aos talibãs, segundo um comunicado do comando militar paquistanês.

"Um importante centro do (grupo extremista islâmico) Lashkar-e-Islam (LI) que estava sendo utilizado como esconderijo e campo de treinamento foi destruído na ação militar", afirmou o Exército na nota.

As forças governamentais também destruíram seis veículos e 15 casas dos fundamentalistas no vale de Tira, do distrito de Khyber, situado na fronteira com o Afeganistão.

As forças da Guarda de Fronteiras iniciaram há cinco dias uma operação por terra e ar contra o LI, uma organização proibida com grande influência em Khyber, demarcação por onde passa a principal passagem terrestre entre Paquistão e Afeganistão.

Neste período, as tropas mataram quase 100 fundamentalistas e detiveram cerca de 70. Na ofensiva de hoje, segundo o comunicado, vários insurgentes ficaram feridos.

O LI, que em algumas ocasiões alcançou pactos de não agressão com as autoridades, é um grupo independente, mas vinculado aos insurgentes talibãs, com um amplo histórico de atividades criminosas na região.

O LI e o Tehrik-e-Taliban Pakistan (TTP) - movimento que reúne diferentes facções talibãs paquistanesas -, "colaboram há muito tempo na região", disse à Agência Efe o brigadeiro a cargo da operação.

O militar destacou que a ação militar continuará até que se tenha recuperado o controle da área.

Além disso, as forças de segurança também realizaram hoje uma ofensiva na demarcação tribal de Orakzai, vizinha a Khyber, onde mataram 18 fundamentalistas e destruíram 11 esconderijos e seis veículos, segundo uma fonte oficial citada por vários meios de comunicação do país.

O complexo cinturão tribal paquistanês, um território que nunca esteve sob completo domínio do Estado, serve de refúgio a vários grupos da insurgência talibã, organizações criminosas e membros da rede terrorista Al Qaeda, e é cenário de contínuos atos de violência. EFE igb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG