Ataques matam 5 no Iraque

Bagdá, 1 set (EFE).- Pelo menos cinco pessoas morreram hoje e outras dez ficaram feridas em vários ataques no Iraque, segundo fontes do Ministério do Interior, que também informaram sobre o sequestro do filho de um político no nordeste do país.

EFE |

As fontes disseram à Agência Efe que pelo menos três fiéis que saíam de uma mesquita após a oração do anoitecer morreram ao serem baleados por um grupo armado no centro de Mossul, 400 quilômetros ao norte de Bagdá.

Segundo as fontes, é provável que as vítimas fatais fossem membros dos serviços de segurança.

Também em Mossul, outro grupo armado matou a tiros o diretor da organização de assistência humanitária desta cidade, identificado como Raed Mohamed al-Sayeg, no bairro de Al-Shifa, no oeste.

Além disso, no bairro de Al-Habda, no norte dessa localidade, pelo menos dois soldados iraquianos ficaram feridos devido à detonação de uma bomba na passagem de sua patrulha.

A mesma fonte afirmou que pelo menos uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas devido à explosão de um bomba colocada em um veículo particular, pouco antes de chegar a um posto de controle do Exército iraquiano, na área de Adhamiya, no norte de Bagdá.

Em outro incidente semelhante, pelo menos três civis ficaram feridos devido à explosão de outra bomba, localizada em um veículo, no leste da capital.

As fontes disseram que um dos feridos se encontra em estado grave, já que perdeu os dois pés.

Em Diyala, pelo menos três pessoas, entre elas um funcionário, ficaram feridas devido à detonação de outra carga explosiva na área de Al-Haneqin, 135 quilômetros ao norte de Baquba, capital desta província.

Além disso, um grupo de desconhecidos sequestrou hoje, em Diyala, o filho do político Neyem al-Harbi, membro do Conselho Provincial, em representação do bloco sunita Diálogo Nacional.

As forças de segurança iraquianas também conseguiram desativar uma bomba colocada perto da casa do presidente desse bloco político em Diyala, Mazem Habib al-Izaui, localizada 35 quilômetros ao leste de Baquba.

Estes ataques ocorrem após um aumento da violência durante o mês de agosto no Iraque, onde foram registradas 580 vítimas fatais, mais que o dobro a respeito do mês anterior, no qual 275 pessoas morreram, segundo dados oficiais. EFE am-aj-ssa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG