Ataques matam 19 em Bagdá, a maioria mulheres

BAGDÁ (Reuters) - Uma explosão em um ônibus matou 13 funcionárias do governo que estavam a caminho do trabalho em Bagdá nesta segunda-feira, e uma mulher-bomba matou cinco pessoas nos arredores do complexo Zona Verde na capital iraquiana, informou a polícia. Outro ataque contra uma patrulha policial na região de compras no distrito de Karrada, matou um homem e feriu cinco pessoas, acrescentou a polícia.

Reuters |

Os ataques são os mais recentes de uma série de explosões na capital do Iraque, onde o índice de violência teve uma queda significativa, mas insurgentes têm mostrado que ainda são capazes de preparar ataques em grande escala.

O Ministério do Interior iraquiano disse em comunicado que reforçou a segurança na capital.

"As forças de segurança reforçaram seu procedimento por conta das explosões que atingiram várias regiões de Bagdá", disse o porta-voz do ministério, major-general Abdul Karim Khalaf.

"Entre (essas medidas)...estão mais ações de inteligência. A batalha agora é uma batalha de informação".

A polícia disse que as mulheres que morreram no atentado ao ônibus trabalhava para o Ministério do Comércio. Uma autoridade de segurança no hospital, que preferiu não revelar seu nome por não ter autorização para falar, disse que contou 13 corpos no necrotério. Quatro feridos estavam sendo atendidos.

A Força Militar dos Estados Unidos informou que dois dos mortos no ataque da mulher-bomba eram soldados iraquianos. O ataque aconteceu nos arredores da Zona Verde, área com segurança reforçada que abriga órgãos públicos e embaixadas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG