Ataques em prédios do governo matam 19 no Afeganistão

Pelo menos 19 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas nesta quarta-feira na capital do Afeganistão, Cabul, em ataques contra três prédios do governo. Em um dos ataques, dois suicidas detonaram os explosivos em um escritório responsável pela administração de prisões, no norte da cidade.

BBC Brasil |

Também foram alvos de ataques as sedes do Ministério da Justiça e do Ministério da Educação, no centro da capital afegã.

A milícia Talebã assumiu a responsabilidade pelos atentados, que ocorrem na semana em que o novo enviado americano para o Paquistão e o Afeganistão, Richard Holbrooke, deve fazer uma visita a Cabul.

Segundo o correspondente da BBC em Cabul Ian Pannell, sete suicidas participaram dos ataques.

Quatro atiradores tentaram entrar no Ministério da Justiça. Dois foram mortos do lado de fora, mas os outros conseguiram entrar e foram mortos em um tiroteio posterior com forças de segurança, disse Pannell.

Policiais também teriam sido mortos no incidente.

O ministro da Justiça, Mohammad Sarwar Danesh, chegou a ficar trancado em seu escritório com seguranças armados. Ele disse à BBC que estava a salvo, mas não conseguia sair da sala onde estava.

"Seguranças começaram a atirar e, então, os atiradores responderam matando outros seguranças. Um (atirador) entrou no prédio e começou a atirar, outro subiu as escadas", disse o estudante Assadullah Jaddalak, que estava dentro do prédio do Ministério no momento do ataque.

No ataque no escritório de administração de prisões, os dois suicidas conseguiram entrar no prédio antes de se explodir.

No terceiro incidente, outro suicida tentou e não conseguiu entrar no prédio do Ministério da Educação e acionou o cinto com explosivos depois de ser baleado.

"Depois que ouvi os tiros, pude ver de minha janela as pessoas correndo e os seguranças por toda parte", disse à BBC Salim Hayran, que trabalha no ministério.

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas americanas, almirante Mike Mullen, afirmou que é preciso enviar mais soldados americanos com urgência ao Afeganistão.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu dar ênfase às operações americanas no país asiático, reduzindo a presença no Iraque durante seu governo.

Obama, porém, ainda deve anunciar quando mais soldados serão enviados ao país.

Antes de viajar à região, o enviado americano Richard Holbrooke afirmou que a situação no Afeganistão será "muito mais difícil" de resolver do que no Iraque e que ele "nunca viu nada como a bagunça que herdamos".

Leia mais na BBC Brasil: Afeganistão é tarefa mais difícil que Iraque, diz enviado de Obama

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG