Ataques do Taliban no Afeganistão deixam 30 mortos

Por Ismail Sameem KANDAHAR, Afeganistão (Reuters) - Atacantes suicidas do Taliban atacaram neste sábado em várias partes da cidade de Kandahar, no sul do Afeganistão, matando 30 pessoas e ferindo dezenas em uma série de atentados que os militantes definiram como uma mensagem à Otan.

Reuters |

A cidade está no centro do reduto do Taliban e será o próximo grande alvo de ataques das forças da Otan este ano.

Autoridades disseram que o maior ataque do grupo tinha como objetivo a prisão, na periferia da cidade, numa aparente tentativa de repetir a abertura das celas, conseguida numa investida dois anos antes.

Abdul Qayyum Pukhla, diretor do principal hospital de Candahar, disse que 27 mortos e 52 feridos haviam sido levados para lá, incluindo policiais e civis.

O chefe do conselho da província, Ahmad Wali Karzai, que é meio-irmão do presidente afegão, Hamid Karzai, disse à Reuters que 30 pessoas haviam sido mortas, entre as quais muitas mulheres e crianças, em um salão de festas de casamento perto de um dos alvos do ataque, o complexo da chefia da polícia.

Ele afirmou ainda que houve outros dois ataques: uma bomba colocada em uma motocicleta e um atentado suicida feito por um ciclista.

Ahmad Wali Karzai disse acreditar que os outros atentados foram realizados para desviar a atenção da ação principal, contra o presídio.

Uma testemunha da Reuters declarou que a polícia abriu fogo no local da explosão perto do complexo da polícia. Os vidros de prédios ao redor se estilhaçaram.

Em um comunicado em seu website, o Taliban afirmou ter realizado os ataques na cidade como uma "mensagem" para os comandantes da Otan que estão planejando uma ampla operação lá. O grupo disse ter infligido pesadas baixas nos "inimigos dos mujahideen (combatentes islâmicos)".

"O alvo principal era a prisão, que está muito bem protegida", disse Ahmad Wali Karzai à Reuters. "Foi uma explosão muito grande. Foi uma explosão imensa. Agora a cidade está tranquila. Tudo está sob controle", declarou, cerca de duas horas depois dos ataques.

A ação no presídio parece ter sido uma tentativa de repetir a fuga espetacular de 2008, quando um caminhão bomba abriu um buraco nas paredes de barro, levando 1.000 prisioneiros a fugir, incluindo 400 combatentes do Taliban.

Ahmad Wali Karzai disse que o ataque deste sábado fracassou porque forças canadenses reforçaram a estrutura do presídio depois da ação anterior do Taliban.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG