Islamabad, 4 set (EFE) - Pelo menos 37 insurgentes morreram nas últimas horas em ataques do Exército paquistanês contra duas regiões da Província da Fronteira do Noroeste (NWFP), informaram hoje à Agência Efe fontes militares, que negaram a morte de civis. Antes, o canal privado Geo TV tinha informado da morte de dois líderes talibãs e de cinco civis membros de uma mesma família, dois deles crianças, em um bombardeio hoje sobre Kozabandi, no distrito de Kabal do vale do Swat. O porta-voz das Forças Armadas, Athar Abbas, afirmou que 17 fundamentalistas - entre eles três líderes talibãs - morreram e 20 ficaram feridos em um ataque aéreo de helicópteros militares em Swat, onde o Exército iniciou uma operação em 23 de agosto. A ofensiva principal ocorreu durante estes últimos dias. Estivemos atacando seus refúgios. Hoje foi basicamente uma operação de rastreamento e remate de alvos na zona de Kozabandi, informou a fonte.

Abbas acrescentou que entre os líderes mortos se encontravam os irmãos Yunus e Zia-ur-Rehman.

"Não consta que houvesse civis mortos em decorrência de nossa ofensiva", disse o porta-voz, que insistiu em que a operação no vale "durará até que tenha sido possível expulsar da região a militância" talibã.

Segundo a versão do "Geo TV", um dos projéteis lançados em Kozabandi atingiu a casa de um ex-político local, Siraj Khan, e feriu sua mãe e irmã.

Khan assegurou ao canal que no bombardeio várias casas foram destruídas e que a maioria estava desocupada.

Por outra parte, na localidade de Darra Adam Khel, próxima a Peshawar, a capital da NWFP, outros 20 insurgentes morreram em choques com as forças de segurança, explicou o porta-voz militar Murad Khan. EFE igb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.