Pelo menos 30 pessoas morreram e outras 45, incluindo 15 policiais, ficaram feridas nesta quarta-feira após a explosão de dois carros-bomba e o ataque de um suicida com um cinto de explosivos em Baquba, capital de Diyala, a nordeste de Bagdá, segundo fontes policiais.

As fontes explicaram que as explosões dos carros, quase simultâneas, aconteceram no centro da cidade. Um dos dois veículos explodiu junto ao Departamento de Moradia e o outro perto do Departamento de Águas da cidade.

Depois dos dois carros-bomba, um suicida que levava um cinto de explosivos o detonou na entrada do hospital geral de Baquba, onde chegavam os feridos causados pelos primeiros fazendo aumentar o número de vítimas.

Além disso, a polícia acrescentou que agentes especialistas em desativação de explosivos conseguiram neutralizar um terceiro carro-bomba em Baquba.

As forças de segurança proibiram a circulação de qualquer veículo em toda a cidade.

Entre os feridos pelo atentado suicida está o diretor do Departamento de Saúde de Diyala, Ali al Tamimi, e três de seus guarda-costas. Outro segurança de Tamimi morreu.

Os atentados desta quarta-feira são os mais sangrentos desde o início, no dia 12 de fevereiro, da campanha eleitoral para a eleição parlamentar prevista para o próximo domingo.

Os episódios foram registrados apesar da intensificação das medidas de segurança para evitar que aconteçam ataques durante as eleições, que vão determinar a nova formação governamental.

As autoridades iraquianas informaram que a vigilância da votação vai ficar por conta de milhares de policiais e 14 divisões do Exército.

Leia mais sobre Iraque

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.