Ataques de aviões não tripulados dos EUA matam 42 no Paquistão

Ações são lançadas um dia depois de EUA anunciar adiamento de envio de assistência militar a país, em meio à piora das relações

iG São Paulo |

Quatro supostos mísseis dos EUA deixaram ao menos 42 mortos desde a noite de segunda-feira ao serem lançados por aviões não tripulados dos Estados Unidos nas fortificações da milícia islâmica doTaleban no Waziristão do Norte e do Sul, noroeste do país, em um dos maiores números de mortos até agora na campanha controversa de bombardeios aéreos.

Como as ações foram lançadas um dia depois de Washington anunciar um adiamento no envio de US$ 800 milhões em assistência militar , em meio à deterioração dos laços entre EUA e Paquistão, os ataques podem exacerbar a tensão entre os dois países, aliados na guerra contra os militantes.

Em resposta à decisão de adiar o envio da assistência militar, o governo paquistanês ameaçou nesta terça-feira retirar parte de suas tropas mobilizadas perto da fronteira com o Afeganistão.

Não houve confirmação independente do número de mortos, e militantes com frequência contestam as cifras oficiais sobre números de mortos. Os EUA levam a cabo uma agressiva campanha de ataques com mísseis na fronteira afegã-paquistanesa para eliminar fortificações da insurgência Taleban e da rede terrorista Al-Qaeda.

Até o ano passado, o Paquistão colaborou ativamente com os EUA para localizar alvos insurgentes, mas nos últimos meses se mostrou muito crítico em relação ao programa.

As relações entre os dois países pioraram ainda mais depois de 2 de maio , quando uma operação unilateral dos EUA foi realizada em território paquistanês para matar o chefe da Al-Qaeda, Osama bin Laden .

*Com EFE, Reuters e AP

    Leia tudo sobre: paquistãoafeganistãotalebaneua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG