BOGOTÁ (Reuters) - Guerrilheiros esquerdistas assassinaram nesta sexta-feira sete efetivos da Forças Armadas policiais e incendiaram seis veículos de carga, em um aumento dos ataques para demonstrar seu poder militar e marcar o primeiro aniversário da morte de três de seus líderes, informaram autoridades. O ataque mais grave foi registrado em uma zona rural do município de Yarumal, no departamento de Antioquia, no noroeste do país, onde cinco efetivos do Exército morreram após a explosão de um campo minado instalado por rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Inicialmente, rebeldes atacaram uma patrulha da polícia no município de Mesetas, no departamento de Meta, no sudeste do país, causando a morte de um policial e ferindo outros dois.

Guerrilheiros do mesmo grupo lançaram mísseis de fabricação caseira -- cilindros de gás carregados com explosivos -- contra o quartel da polícia do departamento de Puerto Rico, também em Meta, em ataque que deixou um policial morto e outros cinco feridos.

Outro comando rebelde incendiou seis veículos de carga na estrada Cali-Buenaventura, no departamento de Valle, no sudeste da Colômbia.

Buenaventura é o porto mais importante da Colômbia no oceano Pacífico, responsável por mais da metade das importações e exportações do país.

"É uma ferida aberta que temos que controlar", disse o diretor da polícia, general Oscar Naranjo, referindo-se aos recentes ataques das Farc.

Os serviços de inteligência descobriram um plano das Farc para intensificar os ataques e marcar o primeiro aniversário da morte de Manuel Marulanda, Raúl Reyes e Iván Ríos, em março de 2008.

O governo do presidente Alvaro Uribe trava uma ofensiva militar contra a guerrilha, o que a obrigou a refugiar-se em zonas montanhosas e de selva do país.

Em meio a ofensiva, importantes comandantes rebeldes foram mortos, enquanto milhares de combatentes desertaram, o que reduziu a capacidade logística e de combate da guerrilha.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.