Atentados ocorrem em cerimônia que lembra a morte do neto de Maomé e ressaltam fragilidade local pouco antes da retirada dos EUA

Três ataques de bombas atingiram vários peregrinos xiitas que comemoravam nesta segunda-feira um importante ritual religioso, deixando pelo menos 30 mortos e dezenas de feridos, informou a polícia.

Leia também:
- Obama anuncia que retirada total do Iraque ocorre até fim do ano
- EUA devolvem quartel-general em Bagdá ao controle do Iraque
- Iraque sinaliza abertura para retorno de tropas americanas

Residentes e soldados iraquianos inspecionam local de ataque em Hilla, no Iraque
Reuters
Residentes e soldados iraquianos inspecionam local de ataque em Hilla, no Iraque

Os ataques ocorreram no auge da Ashura, que lembra a morte do neto do profeta Maomé, imã Hussein, e define o islamismo xiita, e ressaltaram a fragilidade da segurança iraquiana a menos de um mês da retirada dos soldados americanos do país .

Os peregrinos geralmente são alvos de extremistas sunitas que acreditam que os xiitas não são muçulmanos. Após a queda do regime majoritariamente sunita de Saddam Hussein, os xiitas retomaram o direito de expressar suas crenças livremente, e desde então, comemorações anuais têm atraído um grande número de participantes, apesar das ameaças de violência.

No primeiro ataque, um carro-bomba explodiu no final de uma procissão xiita, deixando 16 mortos, principalmente mulheres e crianças, e ferindo outras dezenas, segundo a polícia e testemunhas. O ataque deixou poças de sangue, sapatos e roupas rasgadas pelas ruas.

"Uma explosão forte e horrível ocorreu atrás de nós, e fumaça se espalhou pela área", disse Hadi al-Mamouri, que estava participando do ritual. "Eu só consegui ouvir gritos de mulheres e pude ver os corpos de mulheres e crianças nas ruas."

Um segundo ataque envolvendo duas bombas à beira da estrada matou ao menos seis pessoas em outra procissão em Hilla, deixando também mais feridos, segundo fontes policiais.

Autoridades na cidade de Hilla, a 100 km de Bagdá, impuseram a proibição da circulação de carros para evitar ataques.

Em Bagdá, ao menos 11 foram mortos e 38 ficaram feridas devido a bombas colocadas em beira de estrada que tinham como alvo pereguinos xiitas em três regiões diferentes, informaram a polícia e fontes hospitalares.

Os ataques ocorreram no momento em que os últimos 10 mil soldados norte-americanos se preparam para a retirada até o final de 2011, mais de oito anos depois da invasão que derrubou o ditador sunita Saddam Hussein e permitiu a ascensão da maioria xiita no país.

Na segunda-feira, um grupo insurgente sunita ligado ao partido Baath, de Hussein, que foi banido, prometeu continuar os ataques contra equipes americanas que permanecessem no Iraque após a retirada das tropas.

Xiitas iraquianos cobertos de sangue participam da cerimônia Ashura, na qual se autoflagelam
Reuters
Xiitas iraquianos cobertos de sangue participam da cerimônia Ashura, na qual se autoflagelam

Com AP, Reuters e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.