Ataques com bombas matam mais de 40 pessoas no Iraque

Por Jamal al Badrani MOSUL, Iraque (Reuters) - Bombas explodiram em Bagdá e no norte do Iraque nesta quinta-feira, matando pelo menos 41 pessoas, informou a polícia. Os novos ataques aumentam as incertezas sobre a capacidade das forças locais de garantir a segurança dos iraquianos após a retirada das tropas dos EUA dos centros urbanos.

Reuters |

Os ataques no norte do país, onde tensões entre árabes e curdos ameaçam se agravar, virando o próximo conflito do Iraque, pareceram ser parte de uma tentativa de insurgentes de reacender os combates sectários, após a retirada parcial das forças norte-americanas.

Dois atentados suicidas em Tal Afar, cidade na tensa província de Níneve, habitada principalmente por membros da minoria turcomana de religião xiita, mataram 34 pessoas e feriram outras 60, segundo a polícia.

Um homem-bomba detonou um colete de explosivos no centro histórico da cidade, situada a 420 quilômetros a noroeste de Bagdá. Uma segunda explosão suicida ocorreu quando as pessoas estavam reagindo à primeira.

A província de Níneve e sua cidade principal, Mosul, vêm sofrendo uma sucessão de ataques contra policiais, soldados e civis desde 30 de junho, quando as tropas de combate americanas se retiraram dos centros urbanos.

A província é uma área onde grupos como a Al Qaeda vêm aproveitando as tensões entre árabes sunitas, curdos e outras minorias para manter acesa a insurgência mais resistente no país.

Em Bagdá, sete pessoas morreram e 20 ficaram feridas por duas bombas que explodiram numa feira em Sadr City, bairro xiita pobre.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG