Ataques a tribos de pastores árabes deixam 17 mortos em Darfur

Cartum, 24 abr (EFE).- Pelo menos 17 pessoas morreram hoje e outras 11 ficaram feridas em dois ataques lançados por soldados do Exército Popular de Libertação do Sudão (SPLA) contra uma tribo árabe de pastores na região de Darfur, informaram fontes oficiais.

EFE |

"Milicianos do Exército Popular de Libertação do Sudão (EPLS) atacaram as áreas de duas tribos, no sul de Darfur, deixando mortos e feridos", precisou a liderança local.

O EPLS era o braço armado do Movimento Popular para a Libertação do Sudão (MPLS), que lutou contra o norte durante duas décadas. Por causa do tratado de paz assinado em 2005, o EPLS se transformou na única força militar na região autônoma do sul do país, governada pelo MPLS.

Conforme as lideranças locais, os soldados do EPLS que estão na província de Bahr al Ghazal Ocidental - pertencente à região autônoma do sul do Sudão - entram no sul de Darfur para roubar carros e agredir a civis.

Autoridades advertem que a tribo árabe Al-Masiria convocou um grande número de seus guerreiros para vingar o assassinato dos membros da tribo Reziqat.

Essa última tribo e o Governo do sul assinaram há vários meses um acordo que obriga a seus pastores a levar só armas leves quando entrem na região autônoma.

Com as últimas vítimas, os enfrentamentos entre os Reziqat e os soldados do EPLS já contabilizam 44 mortos desde o início do ano.

EFE az/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG