Ataques a bomba matam ao menos 16 em Istambul

Duas explosões seguidas em Istambul, na Turquia, deixaram pelo menos 16 mortos e 154 feridos, na noite de domingo. O governador da província de Istambul, Muammer Guler, descreveu o incidente como um ataque terrorista causado, segundo ele, por bombas deixadas em latas de lixo.

BBC Brasil |

De acordo com policiais, uma pequena explosão teria atingido uma cabine telefônica no bairro residencial de Gungoren.

A segunda explosão, muito mais forte, teria acontecido cerca de dez minutos depois, quando curiosos chegavam ao local.

O editor do jornal turco New Anatolian, Ilnur Cevik, disse à BBC que pelo menos mil pessoas estavam na área quando as explosões ocorreram.

Imagens da televisão local mostraram pessoas deitadas em poças de sangue nas ruas, enquanto outras eram levadas para ambulâncias em cima de cobertores.

Guler acredita que os atentados não foram suicidas e que os explosivos teriam sido ativados por controle remoto.

"Este é um ataque abominável", disse o governador. "Infelizmente, o fato de que a explosão ocorreu em uma área movimentada aumentou o número de mortes."
"Estamos conduzindo uma extensa investigação na cena do incidente", acrescentou o governador.

O presidente da Turquia, Abdullah Gul, disse que os ataques demonstram "a brutalidade do terrorismo e seu objetivo de praticar atos de selvageria em detrimento da vida de mulheres, crianças e pessoas idosas".

Autoria
Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, mas fontes policiais citadas pela mídia turca sugeriram que militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) poderiam ser os responsáveis.

Segundo os policiais, os atentados seriam uma vingança do grupo contra uma série de operações realizadas pelo Exército turco nos últimos dias contra suas bases.

Um político do partido governista AK, Murat Mercan, disse à BBC que a Turquia não vai se render diante dos ataques.

"Terroristas estão tentanto desestabilizar o país. Mas a Turquia já tem muita experiência com este tipo de terrorismo, logo isso não vai distrair nosso país, nossa sociedade, de nosso dia-a-dia normal", disse ele.

Várias cidades turcas têm sido alvo de explosões e atos de violência nos últimos anos.

No início deste mês, seis pessoas morreram, entre policiais e atiradores, durante uma troca de tiros na entrada da Embaixada americana em Istambul.

Em novembro de 2003, mais de 60 pessoas morreram em Istambul em uma série de ataques suicidas, que as autoridades atribuíram à rede Al-Qaeda.

Rebeldes separatistas curdos realizaram diferentes ataques em regiões turísticas da Turquia em 2006, matando doze pessoas.

Leia mais sobre: ataques

    Leia tudo sobre: ataque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG