Ataque talibã contra Isaf termina com 10 soldados franceses e 3 civis mortos

Lutffullah Ormurl Cabul, 19 ago (EFE).- Uma emboscada contra um comboio francês na província de Cabul e um ataque suicida contra uma base americana em Jost (leste) causaram a morte de dez soldados franceses e dois civis, informaram hoje fontes oficiais no Afeganistão, onde a insurgência talibã realiza ataques com cada vez mais violência.

EFE |

Além disso, um terceiro civil morreu hoje em outro ataque suicida contra alvos canadenses em Kandahar.

O ataque contra as tropas francesas da Força Internacional de Assistência para a Segurança (Isaf), que foi registrado ontem à noite e que gerou fortes combates, deixou dez mortos e 21 feridos, informou a força da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em comunicado.

Trata-se do confronto com o maior número de baixas da Isaf neste ano.

A Isaf calculou em 100 o número de talibãs que armaram uma emboscada contra a patrulha de tropas francesas e afegãs em Cabul.

Entretanto, os soldados receberam apoio aéreo e das forças de reação rápida e mataram "um grande número de insurgentes".

O Ministério da Defesa afegão disse haver dois feridos entre seus soldados e calculou 13 mortos e 14 feridos inimigos.

"Treze cadáveres, incluindo um paquistanês, estão em poder das forças afegãs", confirmou o ministério, que disse que o combate aconteceu na área de Uzbin, no distrito de Surobi, a 60 quilômetros ao leste da capital afegã.

O distrito de Surobi é uma área de ativa presença insurgente, em parte porque sua população é pashtun, a etnia dos talibãs.

Outro grave confronto aconteceu hoje na província oriental de Jost, onde um grupo de insurgentes, alguns preparados para uma ação suicida, lançaram um ataque contra uma base das forças americanas da Isaf. O ataque foi o segundo contra a mesma base em dois dias.

A força da Otan garantiu que os insurgentes não chegaram a se aproximar da base, apesar de os talibãs terem assegurado em comunicado que 15 de seus combatentes conseguiram entrar no local.

Os soldados americanos "interceptaram o ataque insurgente a aproximadamente 1000 metros fora do perímetro da base", informou a Isaf em comunicado.

As tropas "haviam identificado previamente um grupo de insurgentes em posição de ataque e os enfrentaram com armas leves", episódio após o qual receberam o apoio de helicópteros de combate, acrescentou a fonte.

A Isaf afirmou que não perdeu soldados no ataque e que matou sete talibãs, seis deles carregando explosivos para uma ação suicida, segundo o comunicado.

Já o governador de Jost, Arsala Jamal, informou à Agência Efe que o ataque insurgente começou às 23h (15h30, horário de Brasília) da última segunda e foi contido pelas tropas americanas no interior da base.

Segundo Jamal, soldados americanos e afegãos lançaram uma operação, concluída hoje, para perseguir os insurgentes que fugiram após o ataque.

O governador confirmou os sete mortos talibãs e disse que quatro membros dos comandos do Exército afegão ficaram feridos quando um dos suicidas detonou a carga explosiva que carregava.

Outra fonte das autoridades de Jost, que não quis se identificar, disse que dois civis morreram e três ficaram feridos nos bombardeios aéreos da Isaf para repelir o ataque talibã.

O porta-voz talibã Zabiulah Mujahid garantiu que 15 insurgentes suicidas entraram na base, onde mataram ou feriram "um grande número de soldados".

"Quinze de nossos soldados, armados com armas leves e pesadas, entraram na base militar e atacaram vários recintos de seu interior", declarou.

Aldeões citados pela agência afegã "PAN" disseram ter ouvido pelo menos 25 explosões e visto os talibãs fugirem à procura de refúgio em campos e casas próximas, algumas das quais foram bombardeadas.

A base, chamada Camp Salerno, fica na própria cidade de Jost e foi alvo nesta segunda de outro atentado suicida no qual morreram dez trabalhadores civis que queriam entrar no local, e outros 13 ficaram feridos.

Hoje foi registrado outro atentado suicida no distrito de Panyuail, na província de Kandahar, no qual morreu um tradutor afegão e feriu uma criança e um soldado canadense, informou à Efe o general Mohamad Esa.

Mais de 2,7 mil pessoas morreram este ano no Afeganistão vítimas da violência. EFE lo/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG