CABUL - Pelo menos dois civis, um policial e quatro supostos insurgentes morreram nesta segunda-feira, segundo fontes oficiais, em um ataque cometido por talebans em Cabul, capital do Afeganistão.

O porta-voz do Ministério do Interior, Zemarai Bashary, confirmou que as forças de segurança mataram quatro insurgentes que tinham entrado em um centro comercial, após causar várias pequenas explosões no centro da cidade.


Bombeiros apagam fogo em centro comercial de Cabul / AP

Segundo Bashary, a polícia já assumiu o controle total do centro comercial, mas, durante os combates, morreram um membro das forças e outros quatro ficaram feridos.

Um porta-voz do Ministério da Defesa, Zahir Azimi, informou também que dois civis morreram e outros dez ficaram feridos, enquanto o Ministério da Saúde Pública disse que, nos hospitais, há 18 feridos internados.

Os talebans - cerca de 20, segundo o porta-voz taleban Zabiullah Mujahid - iniciaram seu ataque na manhã desta segunda-feira em uma área onde ficam o Banco Central, os Ministérios de Justiça e Finanças, o palácio presidencial e o luxuoso hotel Serena.

De acordo com Bashary, que falou de "ataques simultâneos", os insurgentes atacaram com um projétil o Banco Central, e também um deles foi detonado em frente ao centro comercial Gulbahar, uma forte explosão que foi sentida em vários bairros de Cabul.

Dois insurgentes, acrescentou Bashary, se entrincheiraram em um cinema, também no centro de Cabul, e ainda combatem a partir do local as forças de segurança.

O porta-voz taleban Mujahid citou também uma explosão registrada nas proximidades do palácio presidencial nos primeiros momentos do ataque, a cargo de um dos suicidas do comando.

Em comunicado, a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) no Afeganistão afirmou que está cooperando com as forças afegãs para "conter agressivamente" o ataque dos insurgentes.

As autoridades cortaram as principais artérias viárias e decretaram o fechamento dos edifícios governamentais na cidade. Os principais hotéis de Cabul também fecharam suas portas, segundo o portal afegão de notícias "Quqnoos".

Cabul, onde a presença de tropas estrangeiras e o desdobramento policial são maciços, foi cenário de frequentes atentados suicidas e ataques com projéteis contra edifícios importantes nos últimos dois anos.

O último ataque importante aconteceu em 15 de dezembro, quando cinco pessoas morreram em um atentado suicida registrado em frente a um hotel frequentado por clientes estrangeiros e próximo a escritórios governamentais.

Leia mais sobre Afeganistão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.