Ataque na Caxemira indiana deixa 1 morto

Nova Délhi, 6 jan (EFE).- Um ataque cometido por dois supostos insurgentes escondidos em um hotel da cidade de Srinagar, capital da Caxemira indiana, matou um policial e deixou feridos.

EFE |

Os guerrilheiros lançaram granadas e dispararam contra as tropas paramilitares indianas presentes na praça Lal Chowk, no centro de Srinagar.

Segundo as agências indianas "Ians" e "PTI", os insurgentes teriam se refugiado em um hotel da praça, de onde iniciaram um tiroteio contra as forças de segurança.

Uma pessoa que disse ser porta-voz da organização insurgente Jamiat-ul-Mujahideen reivindicou a autoria do ataque em uma ligação a uma agência local de notícias, e disse que dois de seus guerrilheiros participaram do ato.

Segundo uma fonte oficial citada pela "PTI", o ataque deixou três feridos, entre eles um cinegrafista. A "Ians" diz que há seis feridos.

As autoridades ordenaram o desdobramento da paramilitar Força Policial de Reserva Central (CRPF, na sigla em inglês) na região, que foi isolada e da qual civis fugiram, de acordo com imagens transmitidas pelos canais de televisão.

Ontem, o chefe do Governo da Caxemira, Omar Abdullah, completou um ano no cargo e aproveitou a ocasião para comemorar a melhora na segurança da área.

Em dezembro, o ministro da Defesa da Índia, A.K. Antony, disse que a Índia retirou cerca de 30 mil soldados da Caxemira nos dois últimos anos graças à redução da atividade insurgente.

Ainda há na Caxemira centenas de milhares de soldados da Índia e do Paquistão, países que disputam o território desde a independência e partilha do subcontinente indiano, em 1947.

Segundo cálculos oficiais, cerca de 800 insurgentes ainda agem na Caxemira indiana - a única região do país de maioria muçulmana -, onde atuam pelo menos dez organizações armadas pró-independência ou pró-Paquistão desde 1989. EFE daa/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG